Câmara Federal renova 50% da bancada piauiense

Entre os novos nomes eleitos ontem estão Marllos Sampaio (PMDB), com 141.138 mil votos (10,36 %)

As eleições para a Câmara Federal conseguiram renovar 50% da bancada piauiense. Entre os novos nomes eleitos ontem estão Marllos Sampaio (PMDB), com 141.138 mil votos (10,36 %), Hugo Napoleão (DEM), com 112.645 mil votos (6,81%), Assis Carvalho (PT), somando 99.216 mil votos (6%), Jesus Rodrigues (PT), com 69.101 votos (4,18%), seguido da única mulher eleita, Iracema Portela (PP), que registrou 91.283 mil votos (5,52% do total). Foram contabilizados 79.716 mil votos brancos (4,41%), 74.551 votos nulos (4,12%) e 1.654.514 (91,47%) de votos válidos para o cargo de deputado federal no Estado.

Conseguiram renovar os mandatos os deputados federais Marcelo Castro (PMDB), que obteve a marca de 171,362 mil votos, ou seja, 10% do total, Átila Lira (PSB), com 120.191 mil votos (7,26%), Júlio César (DEM), que obteve 108.768 mil votos (6,57%), Osmar Júnior (PC do B), totalizando 95.899 mil votos (5,78%) e Paes Landim (PTB), que registrou 89.330 mil votos (5,80%). O deputado federal Themístocles Sampaio (PMDB), que ocupava suplência no lugar do deputado já falecido Alberto Silva (PMDB), não concorreu este ano, enquanto Ciro Nogueira (PP) disputou o Senado Federal.

Nazareno Fonteles (PT) conquistou 44.965 mil votos (2, 72%) mas não conseguiu renovar o mandato já ocupado anteriormente por duas vezes. Dois suplentes que não conseguiram se eleger foram Elizeu Aguiar (PTB) e José Maia Filho, o Mainha (DEM). O primeiro esteve na Câmara Federal por cerca de um ano ocupando a suplência do deputado federal Antônio José Medeiros (PT) e somou 567.729 mil votos (3,49%) enquanto o democrata ? que foi suplente do deputado falecido Mussa Demes (DEM) - totalizou 89.884 mil votos (5,43%).

Apesar de ter tido mais votos que Jesus Rodrigues, Mainha não foi eleito por causa do quociente eleitoral. O PMDB e o PT dividem agora a maior bancada piauiense, com dois deputados cada um. Já o DEM, PP, PC do B, PSB e PTB continuam com apenas um representante na Câmara.

Marcelo Castro (PMDB), reeleito pela segunda vez como deputado federal mais votado do Estado, e atual líder da bancada do Piauí, destacou que irá priorizar o novo mandato na conclusão dos projetos do pré-sal e a votação das reformas tributária, trabalhista e política na Câmara Federal. ?Também irei lutar pela aprovação da criação do estado do Gurguéia?, adiantou Castro. Ele acredita que os números expressivos da votação são resultado de um ?trabalho de quatro anos, não só no período de campanha?.

?Terei quatro eixos de atuação: educação, saúde, combate às drogas e agricultura familiar?, disse o deputado federal eleito, Assis Carvalho (PT). O petista afirmou ter feito uma campanha ?bonita e humilde?. ?Saí dos gabinetes, foquei no corpo-a-corpo, falando com as pessoas na rua?, afirmou, explicando sua vitória nas urnas. O deputado ressaltou que o PT é um partido que ?assume o programa político? e afirmou que Nazareno Fonteles foi ?incompreendido?.

?É difícil alguém com mandato perder o mandato, mas ele foi mais programático, que pragmático. Eu fui os dois?, justificou, acrescentando que Nazareno é ?decente e coerente?. Já o deputado federal eleito Marllos Sampaio, ex-delegado do Idoso no Estado, avaliou a campanha como ?tranquila? e destacou que espera em seu primeiro mandato parlamentar uma proximidade maior com a população.

?Quero acabar com esse distanciamento entre o deputado e a população. Os mandatos são muito distantes e os investimentos em emendas são feitos ouvindo as lideranças, quando deveriam ser feitos ouvindo o povo?, afirmou Sampaio, que substitui o pai, Themístocles Sampaio em uma das vagas peemedebistas na Câmara Federal. A deputada menos votada foi Jaqueline, da coligação ?Para o Piauí seguir mudando?, que obteve 0,01%, ou seja, 21 votos. Nove candidatos não registraram nenhum voto. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte