Câmara Municipal de THE vai discutir a crise de energia no Estado do Piauí

O evento foi proposto por meio de um requerimento de autoria do vereador Antonio Aguiar (PROS)

A Câmara Municipal de Teresina deve realizar uma audiência pública destinada a discutir os problemas ocasionados pela má qualidade dos serviços oferecidos pela Eletrobras Distribuição Piauí.

O evento foi proposto por meio de um requerimento de autoria do vereador Antonio Aguiar (PROS), que coletou assinaturas suficientes de seus pares para a aprovação do documento.

Na justificativa, o parlamentar pondera que as constantes oscilações de tensão e quedas no fornecimento têm provocado prejuízos para a população, além de inibir a entrada de novas indústrias no Estado.

"Acreditamos que uma audiência pública será de grande relevância no sentido de discutir os problemas correntes e achar soluções efetivas para que os usuários possam usufruir, plenamente, um regular fornecimento de energia elétrica na cidade.

A Eletrobras Piauí precisa dar à sociedade uma garantia de que vai trabalhar para oferecer, o quanto antes, um serviço de qualidade, sem oscilações, interrupções e quaisquer outras formas de impropriedades", pondera Antonio Aguiar.

O vereador do PROS lembra que, enquanto a população piauiense convive com um dos piores fornecimentos de energia do país, os vizinhos Estados do Maranhão e Ceará possuem serviços de distribuição elétrica considerados excelentes, o que coloca o Piauí em desvantagem no setor industrial.

Levantamento divulgado este mês pela Agência Nacional de Energia Elétrica aponta que a Eletrobras Piauí tem um dos piores desempenhos entre todas as distribuidoras do país.

Embora em 2013 tenha avançado no ranking da Aneel, a subsidiária piauiense continua na 28ª posição, dentre as 35 empresas avaliadas. Em 2011, sua colocação era ainda pior, estando na 32ª colocação, e em 2012, na 30ª.

Enquanto isso, a Companhia Energética do Ceará (Coelce) despontou em primeiro lugar no ranking da Aneel pelo quinto ano consecutivo. Na segunda posição ficou a CPFL Santa Cruz, e no terceiro lugar a Companhia Energética do Maranhão (Cemar).

Com base nos indicadores de continuidade, aferidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica, a distribuidora piauiense afirma ter conseguido melhorar a qualidade do serviço no ano de 2013. Essa evolução, contudo, ainda não é percebida pela população, que continua sofrendo por conta da precariedade da rede de distribuição no Estado.

Esta semana, por exemplo, moradores da cidade de Palmeirais - distante 118 km da capital - realizaram uma série de protestos violentos, depois que a cidade passou quatro dias sem fornecimento de eletricidade. Na ocasião, os manifestantes chegaram a atear fogo no posto de atendimento da distribuidora.

Fonte: Savia Barreto