Caminhoneiro com catarata exige desculpas de Serra

Caminhoneiro com catarata exige desculpas de Serra


Caminhoneiro com catarata exige desculpas de Serra

O programa de TV do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, levou ao ar a polêmica do caminhoneiro José Machado, que sofre de catarata, no horário eleitoral gratuito. O caminhoneiro queixou-se de ter sua doença questionada publicamente pelo candidato do PSDB, José Serra, e disse estar de "alma lavada" depois de ter sido provado que o problema era de fato catarata. "Hoje me sinto com a alma lavada. O estrago que ele (José Serra) causou na minha vida não tem nenhum dinheiro que apague. Se ele não tiver coragem de me pedir desculpas, pelo menos diga ao jornal: "foi engano"", afirmou Machado no programa exibido nesta sexta-feira entre 20h30 e 21h.

O caso do caminhoneiro ganhou destaque depois de ele aparecer no programa eleitoral de Fernando Haddad, no início do horário gratuito na televisão, no mês de agosto, dizendo ter catarata e estar esperando há mais de dois anos para realizar uma cirurgia na rede municipal de saúde. A Prefeitura, em resposta, desmentiu a doença, dizendo que o caso era Pterígio. Nesta quinta-feira (13), reportagem do Estado mostrou relatórios médicos dizendo que ele sofre de catarata.

Após mostrar o caminhoneiro, o programa exibiu populares indignados com Serra: "Cadê o seu José Serra, cadê o Kassab (Gilberto Kassab, PSD, atual prefeito da Capital)?", disse um. "Só tenho uma coisa a dizer para o José Serra: Deixa a gente em paz", disse outro. No final, Haddad exibiu sua proposta de criar o centro Hora Certa, um centro para agilizar a marcação de consultas médicas.

O programa de José Serra começou do mesmo jeito que o exibido na tarde desta sexta-feira, com a foto de Haddad junto ao deputado federal Paulo Maluf (PP), seu aliado na disputa, e os petistas José Dirceu e Delúbio Soares, réus no mensalão. Em seguida, o narrador dizia: "Você nota nele (Haddad), ele volta", exibindo alternadamente as fotos dos três. No final, Serra criticou o projeto de bilhete único mensal do petista. O programa tucano focou nas propostas de Serra para a área cultural.

Fonte: Estadão