Campanha: Dilma cria WhatsApp para interagir com seus eleitores

Campanha: Dilma cria WhatsApp para interagir com seus eleitores

Os outros dois principais candidatos à presidência, Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), ainda não se manifestaram.

O site Muda Mais, ligado à campanha presidencial de Dilma Rousseff (PT), anunciou recentemente a criação de uma conta no WhatsApp. O usuário que enviar uma mensagem de celular para o número (61) 9688-6503 poderá interagir com representantes da campanha nesse comunicador instantâneo, que foi comprado recentemente pelo Facebook.

"Cansamos dos velhos celulares analógicos, aderimos ao smartphone e estamos preparados para interagir pelo zapzap!", diz o texto de apresentação do serviço, usando o nome pelo qual o aplicativo é popularmente conhecido no Brasil.

Os outros dois principais candidatos à presidência, Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), ainda não se manifestaram sobre uma possível adesão ao WhatsApp em suas campanhas.

A equipe de Dilma promete interagir com o público no novo canal. "Tem sugestão de pauta? Quer divulgar a verdade? Gostaria de receber material sobre algum assunto específico? Gostou dos nossos últimos videozinhos e quer mandar pros amigos? Envia uma mensagem pra (61) 9688-6503 e vem debater com a gente pelo Whatsapp!", diz o material de divulgação.

Outro texto afirma ainda que o canal será útil quando o usuário estiver debatendo um tema político e surgir um assunto polêmico. "Você pega o seu celular, abre o aplicativo WhatsApp e, em pouco tempo, está em suas mãos a informação que irá tornar o debate favorável para você por meio de fontes quentes e confiáveis."

O perfil também enviará conteúdo para "aquele eleitor imparcial que precisa estar antenado em tudo que se passa no universo político, mas não tem tempo de acompanhar a TV nem as redes sociais". Com o WhatsApp, afirma o Muda Mais , ele poderá "saber de tudo que se passa na corrida eleitoral".

A equipe do UOL Eleições enviou uma mensagem por volta de 12h25 desta quinta-feira (10), mas não recebeu nenhum tipo de conteúdo até a publicação deste texto (12h54).

Fonte: UOL