Campanha de José Roberto Arruda financiou 236 candidatos no Distrito Federal

Foram financiados 220 candidatos à Câmara Legislativa do Distrito Federal e 16 à Câmara dos Deputados, num total de R$ 642 mil

O escritório político do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM) --investigado por suspeita de caixa dois e pagamento de mensalão para deputados distritais-- financiou campanhas no Distrito Federal em 2006, informa reportagem de Silvio Navarro e Rubens Valente, publicada neste domingo pela Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal).

Foram financiados 220 candidatos à Câmara Legislativa do Distrito Federal e 16 à Câmara dos Deputados, num total de R$ 642 mil. A prestação de contas de Arruda omitiu as datas de pagamentos e dados dos CNPJ de quem os recebeu.

Vídeo mostra governador do DF recebendo dinheiro

Maçonaria abre processo para expulsar Arruda, diz revista

Oposição quer "agenda positiva" contra crise no DF

Flagrado em vídeos da Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal recebendo maços de dinheiro do seu ex-secretário Durval Barbosa (Relações Institucionais), Arruda alega que as gravações são do período pré-campanha de 2006.

Segundo o promotor eleitoral em São Paulo, Maurício Antônio Ribeiro Lopes, a ausência de datas pode significar ilegalidade.

De acordo com fontes ouvidas pela Folha, o candidato recebia um telefonema dos dirigentes do seu partido e buscava os recursos em mãos, em cheques ou dinheiro vivo, no escritório da campanha de Arruda.

PF ainda procura dinheiro

A Polícia Federal ainda procura R$ 400 mil que teriam sido repassados a Durval Barbosa, ex-secretário do DF e colaborador das investigações.

As notas, que saíram das contas de Durval, foram marcadas pela PF para ajudar na identificação dos supostos envolvidos no suposto pagamento de propina a parlamentares da base aliada na Câmara Legislativa. Segundo as investigações, o dinheiro da propina viria de empresas que prestam serviços ao governo do DF.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br