Senadores eleitos arrecadaram mais de R$ 200 milhões

Senadores eleitos arrecadaram mais de R$ 200 milhões

Construtoras doaram para quase todos os eleitos para o Senado.

Quem mais arrecadou na campanha foi o petista Lindberg Farias, eleito para o Senado pelo Rio de Janeiro. Ele registrou receitas de R$ 14,014 milhões. O ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves, foi o segundo que mais arrecadou: R$ 11,97 milhões.

As campanhas dos senadores eleitos nas eleições de outubro arrecadaram, juntas, mais de R$ 220 milhões, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O prazo final para os candidatos entregarem a prestação de contas à Justiça Eleitoral terminou às 19h desta terça-feira (2). Dos 54 eleitos para o Senado, apenas um não apresentou a prestação de contas ? Gilvam Borges (PMDB-AP) ? , conforme o TSE.

Quem mais arrecadou na campanha foi o petista Lindberg Farias, eleito para o Senado pelo Rio de Janeiro. Ele registrou receitas de R$ 14,014 milhões. O ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves foi o segundo que mais arrecadou: R$ 11,97 milhões.

Os dez que mais arrecadaram receberam metade de todo o valor recebido por todos os senadores eleitos. Eles foram responsáveis por receitas de quase R$ 100 milhões.

A senadora eleita pelo Pará, Marinor Brito (PSOL), foi a que menos recebeu na campanha: R$ 53 mil. Depois, vem o ex-governador do Acre Jorge Viana (PT), que declarou receitas de R$ 54 mil.

As construtoras são as doadoras que aparecem com mais frequência nas prestações de contas dos senadores eleitos. Os partidos e outros candidatos também figuram na maioria das prestações de contas como doadores.

Confira abaixo quanto cada senador eleito recebeu conforme dados do TSE.

Senador eleito Receita declarada (em R$)

Lindberg Farias (PT-RJ) 14.014.781,53

Aécio Neves (PSDB-MG) 11.970.313,79

Marta Suplicy (PT-SP) 11.839.006,24

Itamar Franco (PPS-MG) 11.589.868,48

Demóstenes Torres (DEM-GO) 9.212.013,12

Aloysio Nunes (PSDB-SP) 9.193.018,50

Gleisi Hoffman (PT-PR) 7.979.322,30

Ivo Cassol (PP-RO) 7.924.244,43

Eunício Oliveira (PMDB-CE) 7.753.530,00

Armando Monteiro Neto (PTB-PE) 7.346.540,00

Lúcia Vânia (PSDB-GO) 6.299.811,92

Delcídio (PT-MS) 5.986.567,67

Eduardo Braga (PMDB-AM) 5.693.139,92

Blairo Maggi (PR-MT) 5.648.397,85

Renan Calheiros (PMDB-AL) 5.401.108,37

Lobão (PMDB-MA) 5.382.338,75

Humberto Costa (PT-PE) 5.260.948,50

Pimentel (PT-CE) 4.968.776,07

Vanessa Graziotin (PC do B-AM) 4.895.732,00

José Agripino (DEM-RN) 4.825.483,59

Ricardo Ferraço (PMDB-ES) 4.112.330,00

Ciro Nogueira (PP-PI) 4.091.333,30

Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) 3.662.893,94

Valdir Raupp (PMDB-RO) 3.641.813,70

Flexa Ribeiro (PSDB-PA) 3.502.938,05

Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC) 3.161.500,00

Roberto Requião (PMDB-PR) 3.098.943,36

Vitalzinho (PMDB-PB) 3.010.469,38

Ana Amélia Lemos (PP-RS) 2.938.952,02

Magno Malta (PR-ES) 2.811.759,23

Moka (PMDB-MS) 2.776.820,66

Walter Pinheiro (PT-BA) 2.769.111,23

Marcelo Crivella (PRB-RJ) 2.656.916,35

Wellington Dias (PT-PI) 2.526.330,31

Lídice (PSB-BA) 2.167.717,62

João Ribeiro (PR-TO) 2.158.477,04

Paulo Bauer (PSDB-SC) 2.150.186,97

João Alberto (PMDB-MA) 2.096.118,00

Cristovam Buarque (PDT-DF) 2.073.312,00

Benedito de Lira (PP-AL) 2.018.561,66

Paulo Paim (PT-RS) 1.985.855,78

Eduardo Amorim (PSC-SE) 1.538.593,79

Marcelo Miranda (PMDB-TO) 1.512.456,77

Angela Portela (PT-RR) 1.505.080,00

Rollemberg (PSB-DF) 1.312.712,78

Pedro Taques (PDT-MT) 1.120.233,98

Romero Jucá (PMDB-RR) 991.300,00

Wilson Santiago (PMDB-PB) 904.980,00

Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) 628.608,62

Sérgio Petecão (PMN-AC) 463.000,00

Randolfe (PSOL-AP) 190.200,00

Jorge Viana (PT-AC) 54.050,00

Marinor Brito (PSOL-PA) 53.079,10

Gilvam Borges (PMDB-AP) não entregou prestação de contas

Fonte: g1, www.g1.com.br