Candidatas justificam as ausências em debate do Sindicato dos Servidores Públicos

Luizianne Lins já havia dito que só participaria de debate de grande repercussão

Dos nove candidatos a prefeito de Fortaleza, apenas seis compareceram, na noite de ontem, ao debate promovido pelo Sindicato dos Servidores P?blicos do Munic?pio de Fortaleza (Sindifort). O an?ncio das justificativas das aus?ncias da prefeita Luizianne Lins (PT), e da candidata Patr?cia Saboya (PSB) foram recebidos com vaias da plat?ia. Tamb?m faltou ao debate o Pastor Neto (PSC). A prefeita Luizianne Lins, ontem, em entrevista ao Di?rio do Nordeste, j? havia dito que s? participaria de debate de grande repercuss?o.

Apesar de o convite ? participa??o dos postulantes ao debate ter sido feito h? 27 dias, conforme disse a presidente do Sindifort, Nasc?lia Silva, a assessoria de imprensa da candidata Luizianne Lins, informou que a postulante n?o podia desmarcar um com?cio no bairro Ant?nio Bezerra.J? a assessoria de Patr?cia Saboya declarou que a candidata se encontrava com problemas nas cordas vocais e estava ainda sob os cuidados m?dicos.

De acordo com a presidente do Sindifort, Nasc?lia Silva, seria ?muito importante? que todos os candidatos pudessem participar do debate, numa oportunidade em que os servidores podem decidir o seu voto. ?? um debate que trata dos servidores e dos servi?os p?blicos da cidade, com as pessoas que trabalham diretamente com os problemas da cidade e que t?m algo a questionar?.

O Sindifort realizou uma campanha, ainda em mar?o, quando o diret?rio nacional do PT entrou com uma a??o de Descomprimento de PreceitoFundamental (ADPF) n? 134, visando ?retirar o direito dos servidores?, segundo afirmou a sindicalista. Isso iniciou na semana santa, quando foi feita uma campanha ?n?o contra a prefeita de Fortaleza ou partido, mas em defesa dos trabalhadores? da Prefeitura.

Conseguimos uma vit?ria com o decis?o monocr?tica do ministro Ricardo Lewandowski ainda no dia 27 de junho. Em 5 de agosto deste ano, o PT recorreu da decis?o e retomamos a campanha, mas fomos proibidos pela Justi?a Eleitoral. Em nenhum momento est?vamos fazendo campanha contra a prefeita Luizianne.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br