Candidato egípcio Ahmed Shafik se compara ao ex-presidente Lula

No comercial, são usadas várias imagens congeladas do ex-presidente brasileiro.

O candidato presidencial egípcio Ahmed Shafik se compara ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em um novo comercial de campanha.

O Egito realiza o segundo turno de sua eleição presidencial nos dias 16 e 17 deste mês.


Candidato egípcio se compara ao ex-presidente Lula

Shafik, que disputará com Mohamed Morsi, da Irmandade Muçulmana, é tido como o preferido do atual conselho militar que administra o país desde a deposição do presidente Hosni Mubarak, em fevereiro de 2011. Ele foi o último primeiro-ministro a servir no governo de Mubarak.

No comercial de campanha, são usadas várias imagens congeladas de Lula, além de fotos de uma linha de produção no Brasil e do Cristo Redentor, enquanto um locutor lê um texto que enaltece o ex-presidente

Mohamed Amim, o talentoso escritor, escreveu que o presidente brasileiro Da Silva transformou o Brasil de forma significativa, ganhando o respeito do mundo inteiro e conduzindo a economia a níveis impressionantes.

No comercial, a origem humilde e a trajetória de Lula são lembrados como um exemplo de que a origem de um candidato não deve ser um empecilho para que ele chegue à Presidência. Mas o argumento é citado para lembrar o passado militar de Shafik. Ele exerceu vários cargos no Exército egípcio até se tornar o ministro da Aviação Civil de Mubarak, cargo que exerceu de 2002 a 2011.

"Simples trabalhador"

O locutor afirma ainda que ""apesar de Da Silva ser um simples trabalhador que engraxava sapatos, seu povo acreditou nele e deu a ele sua confiança porque sua competência era conhecida. Ele não os chamaram de traidor ou o xingaram. Eles não falaram de seu nível educacional ou de seu passado"".

Em outro trecho, o narrador afirma que ""não importa se ele é um tenente-general (cargo que Shafik ocupou no Exército egípcio), um médico, um embaixador ou um cientista nuclear. Nós queremos apenas um cidadão sincero. Não precisamos concordar com sua importância, mas sim elegê-lo e acreditar nele e que ele acredita no Egito"".

Durante sua participação no Fórum Social Mundial, no Senegal, em fevereiro do ano passado, Lula, após já ter deixado a Presidência, fez comentários críticos sobre Mubarak.

- Há muito tempo todo mundo sabia que era preciso que voltasse a democracia no Egito. As pessoas se incomodam com Cuba, com o Chávez, e as pessoas deixaram de ver que [Hosni] Mubarak estava lá fazia 32 anos (sic). As pessoas não enxergam.

Na verdade, Mubarak governou o Egito de 1981 até 2011.

As declarações de Lula sobre Mubarak tiveram um tom distinto dos comentários feitos por ele durante seu mandato, quando realizou uma visita oficial ao Egito. "O presidente Mubarak é um homem preocupado com a paz no mundo, com o fim dos conflitos, com o desenvolvimento e com a justiça social", disse, na ocasião.

Fonte: r7