Candidatos eleitos gastaram R$ 20 milhões no Piauí

De acordo com o levantamento feito pelo Jornal Meio Norte, os dez deputados federais eleitos para a Câmara gastaram R$ 7, 532 milhões

A campanha eleitoral dos candidatos que venceram as eleições este ano no Piauí registrou gastos totais de R$ 20.724 milhões. Esse foi o volume total de despesas declaradas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelos candidatos a deputados federais, estaduais e senadores que obtiveram êxito nas urnas no último dia 03 de outubro.

De acordo com o levantamento feito pelo Jornal Meio Norte, os dez deputados federais eleitos para a Câmara gastaram R$ 7, 532 milhões enquanto os 30 eleitos para a Assembléia Legislativa do Estado somaram despesas de R$ 6, 634 milhões. Os dois senadores eleitos ? Wellington Dias (PT) e Ciro Nogueira (PP) ? gastaram, respectivamente, R$ 2.471.592,86 e R$ 4.087.303,30, em suas campanhas.

Os dois candidatos no Piauí que estão livres da prestação de contas até o dia 30 de novembro são o ex-prefeito Sílvio Mendes (PSDB) e o governador Wilson Martins (PSB), que disputaram o comando do Palácio de Karnak no segundo turno. Nesse caso, as regras para a prestação de contas são as mesmas do primeiro turno.

Na prestação de contas final, as doações recebidas pelos candidatos são especificadas com o nome do doador e o valor recebido para a campanha eleitoral. Das 463 prestações de conta esperadas, apenas 271 foram entregues na última terça-feira no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI).

As instituições financeiras responsáveis pela abertura da conta bancária específica para a campanha eleitoral deste ano são obrigadas a fornecer à Justiça Eleitoral os extratos eletrônicos de todo o movimento financeiro dos candidatos e partidos.

Os candidatos que não prestaram contas ficam inelegíveis por quatro anos e os eleitos não serão diplomados. Os partidos e candidatos que não cumpriram o prazo receberão uma notificação e terão até 72 horas para entrar em contato com a Justiça Eleitoral e regularizar a situação.

Os documentos serão analisados por servidores do próprio Tribunal e de outros órgãos, como o Tribunal de Contas do Estado, Advocacia Geral da União e Tribunal de Contas da União. As contas serão julgadas em até oito dias antes da diplomação dos eleitos, que deve acontecer no próximo dia 17 de dezembro. Segundo a coordenadora de Controle Interno e Auditoria do TRE-PI, Raquel Ferro, pontuou que serão priorizadas as análises das contas de 60 candidatos eleitos e mais cinco suplentes. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte