CEIR Móvel realiza entrega de 800 equipamentos ortopédicos na região Curimatá e Bom Jesus

Além dos dois municípios polo, outras nove cidades foram beneficiadas com mais esta ação do projeto CEIR Móvel

A oficina itinerante do Centro Integrado de Reabilitação (CEIR) realizou, na última terça-feira (27) a entrega de mais de 800 equipamentos ortopédicos nos municípios de Curimatá e Bom Jesus, no sul do Estado do Piauí. Além dos dois municípios polo, outras nove cidades foram beneficiadas com mais esta ação do projeto CEIR Móvel, que já entregou mais de 20 mil equipamentos ortopédicos em todo o Piauí desde a sua criação, em 2011.

A entrega dos equipamentos em Curimatá foi realizada no Centro Social Drº Lucas Seixas Doca e contou com a presença da vice-prefeita, professora Maria das Neves, da secretária municipal de Saúde, Anemília Lustosa, da secretária de Assistência Social, Idaiane Bispo, além de beneficiários do projeto e familiares.

A vice-prefeita destacou o alcance social do CEIR Móvel e a importância para a região. ?Realizamos uma vista ao CEIR antes de assumirmos essa gestão e essa entrega já é fruto daquele trabalho. Percebemos a satisfação da população, pois uma ação como esta tem impacto muito amplo, pois beneficia toda família e não apenas a pessoa com deficiência?, informou.

Além de Curimatá e Bom Jesus, o CEIR Móvel também beneficiou a população dos municípios de Alvorada do Gurguéia, Cristino Castro, Currais, Palmeira do Piauí, Redenção do Gurguéia, Santa Luz, Avelino Lopes, Júlio Borges e Morro Cabeça no Tempo, com a entrega de cadeiras de rodas e para banho, próteses, órteses e muletas, entre outros.

De acordo com o secretário estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência, Hélder Jacobina, essa entrega representa mais um benefício para a região que ainda é muito carente de ações nessa área. ?Somos do município e sabemos das dificuldades que as pessoas, principalmente com deficiência, enfrentam. Diante da ação do Governo do Estado do Piauí, por meio do CEIR Móvel, podemos levar benefícios que mudam a realidade de pessoas que antes eram esquecidas e não tinham qualquer assistência?, destacou.

Fonte: Ascom