Ciro admite possibilidade de desistir do Planalto com candidatura de Aécio Neves

O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) admitiu que se o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB)

O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) admitiu que se o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), for candidato à Presidência em 2010, ele pode desistir de entrar na disputa. Mas fez elogios à provável candidata do PT, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil).

"O governador Aécio sendo candidato à Presidência da Republica, descomprime gravemente a necessidade estratégica de eu apresentar uma candidatura. Não quer dizer que eu eventualmente não tenha que ser, porque isso dirá o meu partido. Mas as necessidades das minhas angústias com relação ao futuro do país, com a presença dele, supondo um enfrentamento dele com a ministra Dilma [Rousseff], minha estimada companheira, eu fico feliz porque o país estará em seguras, tranquilas e boas mãos", disse Ciro.

Aécio, por sua vez, confirmou a aproximação com Ciro."Você pensa em composição quando você não está composto. Ciro e eu sempre estivemos muito próximos e estaremos muito próximos."

Questionado sobre a possibilidade de disputar o governo de São Paulo, o deputado afirmou que, por enquanto, quer examinar a possibilidade de ser candidato à Presidência.

Ciro também comentou sobre a chance de Aécio ser esmagado em uma disputa interna no PSDB com o governador de São Paulo, José Serra (PSDB).

"Essa é uma advertência que eu faço. Os métodos do Serra são conhecidos. Ele não enfrenta adversários, na minha opinião, com a linguagem naturais do antagonismo político eleitoral. Ele trata adversários como inimigos a serem destruídos e isso é uma cautela que eu, que já fui vítima disso por várias vezes, advirto a todos os outros, que eventualmente eu continuo enfrentando o problema."

O parlamentar ainda fez elogios ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "A passagem do presidente Lula pela Presidência da República tem sido uma passagem, na minha opinião, extremamente bem fazeja. O que justifica, para além da minha afeição, do meu carinho, meu respeito por ele, o que justifica meu apoio e do meu partido, o Partido Socialista Brasileiro, ao governo do presidente Lula."

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br