Ciro afirma que Educação precisa de choque de mérito

Ele afirmou que é preciso fazer um enorme projeto de reciclagem e treinamento do magistério e premiar aqueles que conseguirem um bom desempenho.

O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), pré-candidato à Presidência da República, disse ontem que a Educação no Brasil precisa de um choque de mérito. Ele afirmou que é preciso fazer um enorme projeto de reciclagem e treinamento do magistério e premiar por mérito aqueles que conseguirem atingir um bom desempenho não só na sua própria avaliação, mas também na dos seus alunos.

"Todo mundo ficará garantido com seus salários, mas a União criará um fundo de valorização do magistério que não será distribuído por igual, mas na proporção do ganho de mérito que cada professor voluntariamente desejar fazer. E para aqueles que tenham dificuldade de receber este prêmio pelo mérito, devemos oferecer um amplo programa de reciclagem, treinamento e qualificação", explicou Ciro Gomes.

Segundo o deputado, hoje, o grande desafio na Educação é fazer com que as escolas estejam de acordo com as exigências sofisticadas do mercado de trabalho, "que a nova economia, a economia dita globalizada, está pedindo".

Ciro Gomes afirma que a escola brasileira ainda está montada numa base antiga, atrasada. "E isto faz com que a escola se torne chata, desagradável ao aluno, e por ser assim, com índices de repetência e de evasão escolar, para os quais apresenta soluções absurdas, como a promoção automática, descomprometendo-se completamente com o mérito, com a qualidade do que se ensina".

O deputado destaca que a grande tarefa do governo federal, dividindo as responsabilidades com os estados e municípios, é fundar a nova base da pedagogia brasileira. Ele explica que o Brasil precisa criar um programa especial de formação de professores de matemática, de física, química, e biologia "porque estas quatro disciplinas são as bases da tecnologia, que, por sua vez, é a base do processo da nova economia".

Na opinião de Ciro Gomes, tudo o que importa na nova economia começa numa boa formação nestas disciplinas. "O Brasil precisa fazer um programa de formação de professores, que hoje nós não temos, um programa onde o professor não seja um mero portador e comunicador de informações postas, o que interessa é uma pedagogia que ensine a pensar".

"A informação está no computador e o bom aluno não é aquele que sabe repeti-la, mas aquele que sabe associar duas informações que estão à sua disposição e criar uma informação nova. Essa é a base da robótica, da nova tecnologia, da engenharia genética, da biotecnologia, da informática aplicada à inteligência artificial, da tecnologia aeroespacial, onde o Brasil está levando de goleada, mesmo em comparação a países emergentes, como a China e a Índia", ressaltou o deputado.

Ciro Gomes diz que o Brasil também enfrenta problemas na área de acesso escolar. "Nós, durante muitos anos, tivemos como grande tarefa abrir vagas para os alunos. No Ensino Básico, o Brasil abriu 100% de vagas, mas nós não resolvemos ainda este problema no Ensino Superior, nem mesmo no Ensino Médio, especialmente aquele de base profissionalizante. Portanto, nós ainda temos uma tarefa pela frente, principalmente na área de acesso ao Ensino Superior".

Segundo o pré-candidato à Presidência da República, só 10% da população têm nível superior e o Brasil é um dos último países do mundo neste ranking. "Nós precisamos ir pelo menos à média mundial de 1/3 das pessoas com acesso ao nível Superior. Sem contar que no Ensino Médio nós temos problemas gravíssimos de acesso à escola e qualidade do que ensino"

Fonte: Ascom