Citado pela esposa em voto pelo impeachment, prefeito é preso

Ruy Muniz (PSB), foi preso preventivamente pela PF Polícia Federal.

A deputada Raquel Muniz (PSD), durante discurso ao votar a favor do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, no domingo, dia 17 de abril, se emocionou e citou o marido, o prefeito de Montes Claros (MG), Ruy Adriano Borges Muniz (PSB), como exemplo do Brasil "que tem jeito". Na manhã de hoje, ele foi preso preventivamente pela PF (Polícia Federal) em Brasília,  sob acusação de corrupção.

Durante seu discurso, a parlamentar mencionou o marido. "Meu voto é em homenagem às vítimas da BR-251. É para dizer que o Brasil tem jeito e o prefeito de Montes Claros mostra isso para todos nós com sua gestão. Meu voto é por Tiago, David, Gabriel, Mateus, minha neta Julia, minha mãe Elza. É pelo norte de Minas, é por Montes Claros, é por Minas Gerais, é pelo Brasil. Sim, sim, sim", disse.

 Ruy Muniz, prefeito de Montes Claros, ao lado da esposa, a deputada
Ruy Muniz, prefeito de Montes Claros, ao lado da esposa, a deputada Raquel Muniz

De acordo com as denúncias do MPF (Ministério Público Federal), Muniz e a mulher são acusados por improbidade administrativa. De acordo com a denúncia, o casal usou entidades filantrópicas registradas em nome de laranjas para fugir de pagamentos de tributos de empresas da família na área de educação e saúde.

A Polícia Federal informou, em nota, que a operação “Máscara da Sanidade II - Sabotadores da Saúde”, com objetivo de prender o atual prefeito de Montes Claros e a atual secretária de saúde.

A operação consiste no cumprimento simultâneo de oito mandados judiciais: quatro Mandados de Busca e Apreensão (residência dos acusados, prefeitura e secretaria de saúde), dois Mandados de Busca Pessoal, a fim de apreender celulares e smartphones (prefeito e secretária de saúde), além de dois Mandados de Prisão Preventiva (prefeito e secretária de saúde), expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília/DF.

Segundo a PF, "as investigações demonstraram que os acusados, direta e indiretamente, valendo-se de meios fraudulentos, intentaram destruir e/ou inviabilizar a existência e o funcionamento dos hospitais público (Hospital Universitário Clemente Faria) e filantrópicos (Santa Casa de Misericórdia, Fundação Aroldo Tourinho e Fundação Dilson Godinho) de Montes Claros, que atendem pelo SUS uma população de aproximadamente 1,6 milhões de pessoas, distribuídas nos 86 municípios situados no Norte de Minas Gerais.

Confira o vídeo em que Raquel cita o marido como "bom exemplo"!

Fonte: Portal Meio Norte/ Com informações do UOL e EXTRA