Quase ia para "outras vias" com Garotinho, durante votação, diz Marcelo Castro

Quase ia para "outras vias" com Garotinho, durante votação, diz Marcelo Castro

A luta do deputado pela divisão igualitária dos royalties do petróleo durou três anos

Com a vitória dos deputados de todo o Brasil na derrubada do veto da presidente Dilma na lei de distribuição igualitária dos royalties do petróleo, o estado do Piauí deve receber R$ 225 milhões em 2013, e os municípios do Piauí, R$ 130 milhões, segundo o deputado Marcelo Castro, autor do projeto junto com o senador Wellington Dias e um dos maiores ativistas quando o assunto é divisão dos royalties.

Todos os municípios receberão valores proporcionais a seu tamanho. Teresina receberá a soma de R$ 24 milhões em 2013, Parnaíba receberá R$ 5 milhões e o menor município algo em torno de R$ 380 mil. O dinheiro ainda é pouco, mas vai aumentar com o passar dos anos, e em 2022, dependendo da produção de petróleo, deverá ser multiplicado por três ou quatro. Segundo Marcelo Castro, a lei prevê que os recursos sejam usados nas áreas de educação, saúde, ciência e tecnologia, proteção do meio ambiente e combate às drogas.

A luta do deputado pela divisão igualitária dos royalties do petróleo durou três anos, e teve fim na última semana, quando os vetos da presidente Dilma foram finalmente derrubados, em uma sessão histórica e muito conturbada. "Eu quase ia para "outras vias" com o Garotinho", brincou Marcelo Castro, que discutiu bastante com o deputado carioca. Ele contou que nunca teve um segundo de dúvida que conseguiria a aprovação da lei. "Sempre disse que se não conseguíssemos mudar uma lei tão errada como esta, então nosso trabalho como representantes do povo não serve para nada", disse. Ele conta que teve que lutar contra a desinformação e a descrença dos outros deputados quanto a causa.

Os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo dizem que entrarão com ação no Supremo Tribunal do Federal para derrubar a lei. "Eles estão chorando de barriga cheia, chantageando", disse Marcelo Castro. O Rio receberá em 2013 R$ 12 bilhões, e os parlamentares fluminenses reclamam que o estado deixará de receber R$ 1 bilhão em 2013, dentro de um orçamento anual de mais de R$ 70 bilhões.

Fonte: Andrê Nascimento