Com visita de Dilma, Brasil e Peru consolidam a aliança estratégica

Com visita de Dilma, Brasil e Peru consolidam a aliança estratégica

Novos acordos de cooperação em infraestrutura, comércio e temas sociais serão assinados nesta ocasião.

A presidente Dilma Rousseff iniciou nesta segunda-feira uma visita oficial ao Peru, que deverá aprofundar a aliança estratégica assinada há dez anos entre os dois países.

Novos acordos de cooperação em infraestrutura, comércio e temas sociais serão assinados nesta ocasião.

Dilma, que assinou durante a manhã um declaração conjunta com o presidente peruano Ollanta Humala no Palácio do Governo, chegou acompanhada por 60 empresários que participarão em um fórum de negócios com líderes de empresas de ambos os países, e no qual serão exploradas novas oportunidades comuns de investimento.

"O Brasil investiu 6 bilhões de dólares no Peru, com mais de 70 empresas no país, incluindo as principais multinacionais brasileiras", enfatizou Dilma em uma mensagem no Twitter.

Peru e Brasil, que compartilham uma tensa fronteira e têm seus territórios banhados pelo Amazonas, darão particular importância ao cuidado com o meio ambiente através de um acordo relativo à monitoração e vigilância da região amazônica.

Outros dos compromissos abordam a redução de tarifas da telefonia móvel nas zonas de fronteira para a vigência de preços locais e não internacionais, assim como um acordo de cooperação trabalhista orientado a dar facilidades aos trabalhadores de ambos países.

Miguel Vega Alvear, presidente da Câmara Binacional de Comércio e Integração, afirmou à AFP que o Brasil "está em condições de quintuplicar seus investimentos no Peru durante os próximos vinte anos", passando de 6 a mais de 30 bilhões.

O empresário peruano se referiu a uma nova agenda para um cenário de duas décadas de cooperação nas áreas de energia, hidrovias, petroquímica, estradas, têxtil, turismo, entre outros.

Na última década, Brasil e Peru consolidaram projetos comuns de infraestrutura, desenvolvimento e segurança fronteiriça, educação, agricultura e programas sociais.

A balança comercial entre os dois países cresceu nos últimos seis anos acima dos 8% em média, de 2,3 a 3,7 bilhões de dólares anuais, segundo cifras da Associação Peruana de Exportações.

A visita de Dilma é a quarta ao Peru e será a oitava ocasião em que se encontrará com Humala.

A agenda da presidente brasileira inclui também uma cerimônia na prefeitura de Lima, onde a prefeita da capital, Susana Villarán, a declarará hóspede ilustre.

Fonte: UOL