Com vitória de José Sarney e Michel Temer, PMDB comanda Câmara e Senado

Temer obteve 304 votos, contra 129 de Ciro Nogueira (PP-PI)

Com a dupla vitória desta segunda-feira (2), de José Sarney (AP) no Senado e Michel Temer (SP) na Câmara, o PMDB volta a ocupar a presidência das duas casas. Temer obteve 304 votos, contra 129 de Ciro Nogueira (PP-PI) e 76 de Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

Assim, o partido, além de controlar a pauta das votações no Parlamento, também fica com o segundo e o terceiro postos na linha de sucessão do presidente da República, depois do vice-presidente José Alencar.

Um mesmo partido não ocupa os dois postos desde que Ibsen Pinheiro (PMDB-RS) conquistou a Presidência da Câmara dos Deputados e Mauro Benevides (PMDB-CE) a do Senado, em 1991, para o biênio encerrado em 1993.

Eleições no Congresso

Apesar de congregar interesses regionais diversos -em alguns Estados a sigla é aliada do governo e, em outros, representante da oposição- o PMDB tem feito valer, no Congresso, as maiorias de que dispõe.

O partido, que tem as maiores bancadas do Congresso (20 dos 81 senadores e 96 dos 513 deputados), é frequentemente capaz de pôr parte de sua bancada na base de sustentação dos diferentes governos que assumiram o Executivo. Desde 1985, o partido tem feito pelo menos uma das presidências da Casa.

Michel Temer é eleito na Câmara

Michel Temer (PMDB-SP), 68, foi eleito pela terceira vez presidente da Câmara dos Deputados. Ele já presidiu a Casa por duas vezes (1997-1998 e 1999-2000). Para eleger-se novamente, Temer contou com o apoio de um bloco de 15 partidos (PMDB, PSDB, PT, DEM, PR, PDT, PTB, PV, PPS, PSC, PHS, PT do B, PTC, PRB e PRTB).

Quem é José Sarney

Senador José Sarney de Araújo Costa, 78, assume a presidência do Senado pela terceira vez. Senador ininterruptamente desde 1991, foi também presidente da República entre 1985 e 1990 (foto)

Sarney é escritor e membro da Academia Brasileira de Letras.

Atual presidente do PMDB, cargo que ocupa pela terceira vez seguida, Temer está em seu sexto mandato consecutivo como deputado federal. Foi eleito pela primeira vez para a Câmara em 1986. Dois anos depois, participou da Assembleia Constituinte.

Temer ajudou a manter o PMDB na base governista nos mandatos de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). Em 2002, apoiou José Serra (PSDB) na campanha presidencial. Com a eleição de Lula, quando já era presidente do partido, articulou a entrada do PMDB no atual governo.

No governo paulista, foi secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo por duas vezes. Além disso, foi secretário dos Negócios de Segurança Pública e procurador-geral do Estado. Doutor em direito, Temer leciona direito constitucional na PUC-São Paulo. É diretor do IBDC (Instituto Brasileiro de Direito Constitucional).

Propostas

Durante toda a sua campanha, Temer usou como argumento que sua experiência seria fator determinante para a vitória. Ele também dizia ter mais facilidade que os outros candidatos de manter um diálogo com o Executivo e melhorar o rito das medidas pro

Fonte: AE