Lula elogia performance de Dilma e pede juízo a parlamentares

Presidente aprovou diversos temas em lançamento do Portal Brasil, que reúne informações sobre o governo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva elogiou nesta quarta-feira, 3, a performance da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, nas pesquisas de intenção de voto para as eleições presidenciais e previu um crescimento ainda maior da candidata. "Ela vai crescer mais (nas pesquisas) quando ficar mais conhecida, quando sair mais pelo país e é para isso que tem a campanha", disse o presidente, durante entrevista após o lançamento do Portal Brasil, que reúne todas as informações dos sites de governo em apenas um site.

Lula destacou, no entanto, que o "jogo está só começando". "A performance de Dilma está boa, mas o jogo não está definido. Não se trata de alguém vencer ou não. É cedo para isso. O jogo não está jogado. Não se sabe qual a escalação dos times ainda", disse.

Questionado se os resultados das últimas pesquisas eleitorais poderia afugentar o candidato da oposição, governador José Serra, Lula respondeu: "É uma grande bobagem pensar que uma pesquisa deixa um candidato com medo, com oito meses antes da eleição. O jogo está começando e o jogo está bom. Há um certo equilíbrio. Não é como o Santos fez com o Corinthians no domingo. Ninguém consegue fazer presidente por antecipação. A eleição terá seu resultado somente no dia da eleição, antes disso, é bobagem".

Lula enfatizou que ainda é cedo para fazer qualquer avaliação sobre as eleições de 2010. "Não houve sequer convenções dos partidos. A campanha vai começar de verdade quando começar a propaganda de TV", disse. Questionado sobre o fato de Dilma e Serra estarem juntos em cerimônia ontem em São Paulo, ele disse que isso é um "fato inusitado na conquista da democracia". "As pessoas que são candidatas e oponentes não se veem mais como inimigas como antigamente. Se tratam como brasileiros civilizados que disputam o mesmo cargo", disse.

Juízo

O presidente fez um apelo aos parlamentares para que, em um ano eleitoral, não sejam tomadas decisões apenas com intuito de ganhar votos. "Aproveito o momento para fazer um apelo aos deputados e senadores que não é porque estamos em época eleitoral que vai se praticar a farra do boi. Não é banalizando decisões que se vai ganhar votos. É preciso ter juízo em ano eleitoral. Não se pode prometer mundos e fundos. A sociedade brasileira sabe que as conquistas foram resultado de um trabalho sério. Se dermos sinais de que a farra do boi vai começar, vamos perder a imagem de país sério."

O presidente comentou a decisão da Câmara dos Deputados de incluir uma emenda no projeto que cria o Fundo Social do pré-sal, que permite a utilização de parte do fundo para o reajuste de aposentadorias de valor superior a um salário mínimo. Questionado se vetaria a emenda, caso ela fosse confirmada pelo Senado, Lula disse: "Vamos esperar chegar (a medida para sanção). O presidente só se pronuncia quando o assunto chega as suas mãos."

Bolsa Família

Ao contrário do que fizeram aliados do governo no Senado, Lula avaliou positivamente o projeto aprovado pela Comissão de Educação do Senado, que cria um benefício adicional ao Bolsa Família para os alunos que tiverem bom desempenho escolar. "Se todo o mal que o meu governo causou são os meus adversários aprovarem melhorias na política social, ótimo", disse o presidente. "A ideia da oposição pode ser boa porque é um incentivo a mais para a criança estudar", disse Lula.

O projeto foi aprovado ontem pela comissão no Senado e virou o centro de um debate entre petistas e oposição. A líder do governo no Senado, Ideli Salvatti (PT-SC), acusou a oposição de fazer uso político do programa em um ano eleitoral e avaliou que o projeto coloca a responsabilidade em cima das crianças, que serão forçadas a ter um bom desempenho para que os pais ganhem o adicional no benefício.

Lula ainda aproveitou o tema para voltar a reclamar o fim CPMF, que prejudicou a destinação de recursos para a saúde. "Se eles (partidos de oposição) tivessem feito isso há anos atrás, se não tivessem derrubado a CPMF, a saúde poderia estar em melhores condições", disse. "Achavam que iam prejudicar o governo derrubando a CPMF. A saúde poderia estar melhor. Eles agiram com mesquinharia", acrescentou.

Portal Brasil

O governo federal lançou nesta quarta-feira, 3, o Portal Brasil (www.brasil.gov.br), que reúne todas as informações dos sites de governo em apenas um site. Durante a solenidade de lançamento, o presidente Lula chamou o site de "Google nacional, totalmente brasileiro". "Qualquer brasileiro poderá ter informação, não existirá mais segredo das coisas que estamos fazendo. Não é portal do presidente Lula ou deste governo. É um portal do Brasil para o Brasil", definiu.

Fonte: Estadão, www.estadao.com.br