Comissão vai acompanhar instalação da fábrica da Suzano

Será encaminhada a ata da reunião ao MP para que sirva como garantia de que tudo que foi afirmado pelo representante da empresa seja cumprido

Durante mais de quatro horas os vereadores de Teresina, ONGs ambientalistas e representantes da empresa Suzano Celulose discutiram sobre o projeto de instalação da fábrica e o projeto de monocultura de eucalipto que já está sendo implantado no estado.

Foi criada uma comissão com membros de Organizações Governamentais e Não Governamentais, além da Câmara de Vereadores para acompanhar e exigir que toda legislação ambiental seja cumprida rigorosamente. Será encaminhada a ata da reunião ao Ministério Público para que sirva como garantia de que tudo que foi afirmado pelo representante da empresa seja cumprido.

A vereadora Teresa Britto (PV), que propôs a audiência na Câmara Municipal, explicou que o secretário executivo da Suzano, Ricardo Simonetti, esclareceu várias dúvidas como os incentivos fiscais e o financiamento que será feito com recursos próprios e pelo BNDES. Por outro lado, nenhuma informação foi repassada a respeito da instalação da fábrica. Teresa Britto reprovou a atitude da empresa de não esclarecer, sobretudo, sobre a região que será afetada.

Teresa Britto disse que vários pontos obscuros foram esclarecidos, inclusive sobre a espécie de eucalipto que será plantada no Piauí. Segundo a vereadora, o representante garantiu que a espécie escolhida é uma das que menos consome água e nutrientes.

?Nossa preocupação é fiscalizar e querer que a legislação ambiental seja cumprida de forma completa. Deve haver o compromisso com as gerações futuras, e preocupação com a preservação ambiental e social. A empresa teria que apresentar projeto de reflorestamento de Teresina, mas não fez. O Estudo de impacto ambiental foi feito de forma geral e por técnicos de fora do estado?, enfatizou a parlamentar.

O gerente executivo da Suzano, Ricardo Simonneti, disse que empresas estão sendo contratadas para fazer o estudo de impacto ambiental localizado de cada área onde haverá a plantação. Ele informou que a empresa paranaense STCP foi contratada pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente para fazer o Estudo de Impacto Ambiental, que foi aprovado pelo órgão estadual em 2009.

Segundo ele, questionamentos técnicos sobre a adequação do licenciamento à legislação ambiental devem ser feitos à Semar. Simonetti disse que a empresa está adquirindo as licenças ambientais das propriedades compradas.

Fonte: Ascom