Conflitos na bancada mudam emendas do PI

O valor anterior era de R$ 260 milhões. De indicações feitas pelo relator geral do Orçamento, o Piauí terá R$ 98 milhões

As emendas destinadas pela bancada piauiense no Congresso Federal para o Orçamento de 2010 da União sofreram novas alterações na última semana. A reorganização buscou o equilíbrio entre os valores, já que a discrepância entre as emendas dos deputados e senadores do Estado permitiu que alguns parlamentares conseguissem indicações de até R$ 180 milhões, enquanto outros não ultrapassaram R$ 1 milhão. O futuro líder da bancada do Piauí na Câmara, o deputado federal Marcelo Castro (PMDB), destacou que em 2010 haverá uma alteração na maneira de dividir as emendas.

?Decidimos equalizar os valores de todos os membros da bancada. Essa última divisão foi uma das mais injustas e conseguimos homogeneizá-la. Assim, em 2010, a menor emenda será sempre de R$ 14 milhões e a maior será uma vez e meia esse valor?, explica Castro. A indicação final das emendas do Orçamento do próximo ano, que seria votado ontem, somou R$ 305 milhões. O valor anterior era de R$ 260 milhões. De indicações feitas pelo relator geral do Orçamento, o Piauí terá R$ 98 milhões. O valor, segundo o peemedebista ainda é pouco. ?Só o Rio de Janeiro ficou com R$ 500 milhões de emendas do relator Magela (PT-DF)?, justifica.

EMPENHO POSITIVO - O deputado federal José Maia Filho, o Mainha (DEM), afirmou que, apesar das mudanças, os parlamentares piauienses conseguiram empenhar 100% das emendas. ?Minha indicação foi para obras do Hospital de Picos. Inicialmente coloquei R$ 70 milhões e passou para R$ 20 milhões?, pontua. Apesar do milhares de reais empenhados, apenas uma pequena parcela desse valor é liberada efetivamente. No ano passado, segundo cálculos do atual líder da bancada, o deputado federal Júlio César (DEM), foram enviados para o Estado e municípios cerca de 30% do montante planejado. O pontapé inicial para a redistribuição dos recursos foi o decontentamento dos deputados piauienses com a distribuição das indicações dos deputados Júlio César e Nazareno Fonteles (PT).

Enquanto Júlio conseguiu empenhar R$ 41 milhões, Nazareno ficou com apenas R$ 1 milhão. Com a nova organização, o democrata terá cerca de R$ 21 milhões destinados para construir o trecho rodoviário da BR 235, e o petista totalizou R$ 14 milhões para instalação de agências do INSS no Estado.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte