Conselho da Petrobras agiu certo no caso de Pasadena,diz Mantega

Conselho da Petrobras agiu certo no caso de Pasadena,diz Mantega

"Pode investigar, deve investigar, somos favoráveis a isso", diz ministro

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, declarou nesta quarta-feira (2), durante entrevista ao programa "Bom Dia Ministro", da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que o governo não teme "qualquer investigação" sobre a Petrobras e que o Conselho de Administração da empresa agiu corretamente na aquisição da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, em 2006. O negócio é alvo de investigações por suspeita de superfaturamento e evasão de divisas.

Mantega, que é o atual presidente do Conselho de Administração da estatal, destacou que não fazia parte do colegiado no momento da compra da refinaria. Na ocasião, o conselho era comandado pela presidente Dilma Rousseff, então ministra da Casa Civil no governo Lula.


Conselho da Petrobras agiu certo no caso de Pasadena, diz Mantega

"O que se discute na Petrobras é a aquisição de Pasadena. Eu não estava no Conselho de Administração [na época]. Mas tenho certeza de que o conselho agiu corretamente na ocasião. O conselho é formado por pessoas da mais alta competência dos setores público e privado. Analisou com toda a discriminação e a profundidade necessárias", declarou Mantega.

No mês passado, quando a compra da refinaria pela Petrobras já era investigada, Dilma divulgou que votou a favor do negócio com base em um relatório "falho". A presidente citou cláusulas que teriam sido omitidas e que, "se conhecidas, seguramente não seriam aprovadas pelo conselho".

Na entrevista desta quarta-feira, o ministro da Fazenda acrescentou que o caso será esclarecido no Congresso Nacional pela presidente da Petrobras, Graça Foster, e pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. O Congresso está discutindo a instalação de duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) para investigar o assunto.

Apesar de convidado, o ministro Mantega declarou que não foi "chamado" ao Congresso Nacional para tratar do assunto.

Segundo ele, a Petrobras é fiscalizada o "tempo todo" pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e por uma auditoria interna. "Não é só pelo Conselho de Administração, do qual faço parte."

Ele avaliou que o Congresso "pode investigar" a empresa. "Deve investigar, somos favoráveis a isso. Vamos ver que a empresa trabalha na regularidade. É uma das maiores do mundo, a que mais faz investimento no mundo, tirando as chinesas. [Foram feitos] Investimentos de US$ 48 bilhões no ano passado. A Petrobras está fazendo investimentos para extrair petróleo do pré-sal", afirmou Mantega.

Entenda

Em 2006, a Petrobras comprou 50% de uma refinaria de petróleo em Pasadena, no Texas (EUA). Os outros 50% pertenciam à empresa belga Astra Oil.

Pela primeira parte, a estatal brasileira pagou US$ 360 milhões (US$ 190 milhões pelos papéis e US$ 170 milhões pelo petróleo que estava em Pasadena).

O valor é muito superior ao pago um ano antes pela Astra Oil na aquisição da refinaria inteira: US$ 42,5 milhões.

Em 2008, a Petrobras e a Astra Oil se desentenderam, e uma decisão judicial obrigou a estatal brasileira a comprar a parte que pertencia à empresa belga. Assim, a aquisição da refinaria de Pasadena acabou custando pelo menos US$ 1,18 bilhão à petroleira nacional ? mais de 27 vezes o que a Astra desembolsou no negócio.

Fonte: G1