Conselho adia depoimento de procuradores sobre Demóstenes

Pedido foi feito pelos responsáveis pelas operações Vegas e Monte Carlo

O Conselho de Ética do Senado atendeu pedido dos procuradores responsáveis pelas Operações Vegas e Monte Carlo, da Polícia Federal, para adiar o depoimento deles ao órgão, que investiga as relações entre o bicheiro Carlinhos Cachoeira e o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO). O órgão deixou em aberto novas datas para o depoimento, parte do processo disciplinar que pode levar o senador à cassação do mandato.

As oitivas com os procuradores Daniel Rezende Salgado e Léa Batista de Oliveira estavam marcados para ocorrer na tarde desta quarta, mas eles encaminharam ofício pedindo o adiamento para depois do dia 31 de maio, em virtude das audiências referentes a Operação Monte Carlo, marcadas pela Justiça Federal de Goiânia, onde tramita o processo.

Diante do pedido, o relator do processo no conselho, Humberto Costa (PT-PE) chegou a sugerir a dispensa dos depoimentos, mas a votação não ocorreu. O presidente do Conselho, Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) preferiu deixar a remarcação da data do novo depoimento em aberto.

"Dispensar [o depoimento] hoje seria uma temeridade, já que eles mesmos se ofereceram. Seria até um desrespeito com eles", disse o presidente do conselho.

Humberto Costa e o presidente do conselho, Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) tomaram a decisão de deixar a nova data dos depoimentos em aberto a fim de não alterar o cronograma previsto para o conselho, que tem como último depoimento previsto o do senador Demóstenes Torres, marcado para o próximo dia 28 de maio.

O relator do caso, senador Humberto Costa (PT-PE), acredita que, com o cronograma acertado, seja possível finalizar o processo no Conselho de Ética até o final de junho.

"Os dados prestados pelos procuradores, bem como os autos que chegaram, encaminhados pelo STF, nos dão plena possibilidade de elaborar o relatório final, bem embasado, em condições de ser votado por este conselho e pelo plenário do Senado", disse o relator Humberto Costa.

Outros depoimentos

Na última terça-feira (15), os integrantes do Conselho de Ética ouviram os depoimentos dos delegado da Polícia Federal Raul Alexandre Marques Souza, responsável pela Operação Vegas, e do delegado Matheus Mela Rodrigues, da Operação Monte Carlo. Ambos falaram em sessão fechada para os parlamentares.

Antes do depoimento de Demóstenes, o Conselho de Ética ainda vai ouvir o depoimento do advogado Ruy Cruvinel, no próximo dia 22, arrolado como testemunha de defesa do senador. No dia 23 é o dia do depoimento do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, que também falará como testemunha de defesa de Demóstenes.

Fonte: G1