""Crise é a pior desde 1929"", diz Mantega

Mantega disse que a fase crítica da crise será superada, mas os problemas permanecerão

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta segunda-feira (6) que a crise financeira mundial ? a mais grave desde 1929, mas o Brasil est? em condi?es de enfrentar seus efeitos gra?as ? solidez da economia e das institui?es. Mantega participou de entrevista coletiva ao lado do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.

"? talvez a maior [crise] desde 1929 e n?o vai terminar t?o cedo", afirmou. Mantega disse que a crise atinge a todos os pa?ses, "mas atinge mais os pa?ses que est?o mais fragilizados, e menos os menos fragilizados ou mais s?lidos", como ? o caso do Brasil. "N?s n?o temos problema de solv?ncia no Brasil. Aqui n?o h? ativos podres."

Mantega disse que a fase cr?tica da crise ser? superada, mas os problemas permanecer?o por bastante tempo. "Todos os governos t?m de agir, tomar uma a??o forte, de modo que eu acredito que n?s sairemos dessa fase aguda. Mas a crise vai continuar."

"Eu acredito que essa situa??o aguda dever? se dissipar. ? imposs?vel imaginar que haver? um sistema financeiro mundial travado. Certamente isso ser? superado, porque n?o ? poss?ve funcionar dessa maneira", afirmou o ministro da Fazenda.

Segundo o ministro, os problemas enfrentados pelo Brasil no momento devido ? crise s?o de liquidez, mas o governo est? agindo para aumentar o volume de dinheiro em circula??o. "[Estamos] sofrendo um problema de liquidez, n?o n?o um problema de solv?ncia, e o governo est? tomando as medidas adequadas para que a liquidez continue fluindo", afirmou.

"O BC est? tomando v?rias medidas e estamos tentando manter as reservas no mesmo patamar." Segundo Mantega, essa ? uma determina??o do presidnete Luiz In?cio Lula da Silva. Mantega afirmou que o Brasil vai disponibilizar uma parte das reservas para bancos brasileiros para financiar exporta?es. "Estamos usando as reservas de forma inteligente."

O ministro afirmou que o Brasil vai mater a vigil?ncia para amenizar os efeitos da crise. "O governo est? atuante, o Banco Central, o Minist?rio da Fazenda, o Minist?rio da Ind?stria e Com?rcio est?o atuando para neutralizar essas quest?es. N?o d? para evitar que a Bolsa caia como est? caindo, mas os ativos no Brasil est?o s?lidos, os bancos est?o s?lidos, as empresas est?o s?lidas, o governo est? s?lido, o Banco Central est? s?lido", disse.

Venda de d?lares

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, afirmou que o Brasil est? adotando medidas para evitar a falta de cr?dito aos exportadores brasileiros.

Foram anunciadas duas medidas para tentar aumentar o cr?dito para os exportadores e enfrentar a crise internacional: a abertura de uma linha de cr?dito adicional com a compra de t?tulos pelo governo em troca de d?lares. A segunda diz respeito ao refor?o em R$ 5 bilh?es de uma linha de cr?dito do BNDES no chamado pr?-embarque.

O funcionamento da linha adicional de cr?dito ser? ainda detalhado pelo Banco Central, mas Meirelles explicou que os portadores de ?t?tulos p?blicos de primeira qualidade? poder?o trocar estes pap?is por d?lares, que vir?o das reservas financeiras do governo, atualmente pr?ximas de US$ 200 bilh?es. Haver? um prazo para a recompra destes d?lares com os mesmo t?tulos que ser?o usados para aumentar a liquidez. O governo n?o informou o tamanho da linha de cr?dito.

Segundo Meirelles, o Banco Central vendeu hoje cerca de US$ 1,5 bilh?o no mercado futuro, para tentar dar liquidez ao mercado.

Fonte: g1, www.g1.com.br