Eduardo Cunha diz que pareceu exagerado' pedido de prisão de Lula

Juristas também criticaram o pedido de prisão preventiva de Lula.

Réu em processo da Lava Jato, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou nesta sexta-feira (11) que o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por promotores de Justiça de São Paulo lhe pareceu "exagerado". O peemedebista ponderou, no entanto, que não leu o teor da denúncia do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) no qual consta o pedido de prisão.

O MP-SP pediu a prisão preventiva de Lula e de mais seis pessoas na denúncia em que acusa o ex-presidente de esconder que é dono de um apartamento triplex em Guarujá, no litoral de São Paulo. A defesa de Lula nega que ele seja proprietário do imóvel.

Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ)
Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

A juíza Maria Priscila Veiga Oliveira, da 4ª Vara Criminal de São Paulo, decidirá se decreta ou não a prisão de Lula e se torna réus outros 16 acusados pelo MP na ação. A juíza não tem prazo para tomar essa decisão.

"Eu acho o seguinte: tudo aquilo que é exagerado, nunca é bom. Tudo tem o seu ritmo, o seu caminho e sempre se deve respeitar a legalidade. Mas ressalto: eu não li, não tenho base para poder comentar, mas aparentemente me pareceu exagerado", comentou Cunha.

A suspeita envolvendo Lula está relacionada com a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop) (entenda). O inquérito que corre em São Paulo não tem relação com a Operação Lava Jato, em Curitiba.

Em nota, o Instituto Lula afirma que o pedido de prisão é uma "prova da parcialidade" do promotor do caso. Mais cedo, o instituto afirmou que a denúncia não tem base na realidade.


Fonte: G1