Cúpula do PSB deixa partido livre no PI

O PSB continua advogando que a definição final do nome que unirá os 12 partidos aliados seja adiada para junho

O saldo da reunião realizada na semana passada entre as principais lideranças piauienses do PSB e a cúpula nacional do partido foi a decisão de manter o diretório regional livre para escolher qual caminho seguir na sucessão eleitoral deste ano. Um dos nomes cotados para representar o PSB em uma chapa governista como vice-governador, o deputado estadual Wilson Brandão (PSB) reitera, no entanto, que o partido não está disposto a discutir a posição de vice.

?Temos um candidato e não faz sentido falar de outra vaga que não seja essa?, pontuou, se referindo ao vice-governador Wilson Martins (PSB), que disputa com o deputado federal Marcelo Castro (PMDB), o secretário estadual de Educação, Antônio José Medeiros (PT) e o senador João Vicente Claudino (PTB), a preferência do governador Wellington Dias como cabeça de chapa da base aliada.

Com a reunião para a escolha do candidato governista marcada para o próximo dia 19, o PSB continua advogando que a definição final do nome que unirá os 12 partidos aliados seja adiada para junho, quando ocorrem as convenções partidárias. O posicionamento, defendido também pela deputada estadual Lílian Martins (PSB), é pautado no resultado das últimas quatro eleições no Estado: o candidato a governador vencedor não partiu como favorito nas pesquisas de intenção de voto.

Nas conversas em Brasília e São Paulo com o deputado federal e pré-candidato a presidente da República pelo PSB, Ciro Gomes, e os deputados federais Márcio França (PSB-SP) e Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), que é o líder do PSB na Câmara, a comitiva piauiense explicou a situação da legenda no Estado ? que conta com mais de 40 prefeitos ? e ressaltou a importância da manutenção de uma candidatura à governador. ?Eles deram todo o apoio para a decisão que tomarmos, seja ela qual for?, pontua Brandão. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte