Dados de Lula, Lewandowski e parlamentares vazam na internet

Dados de Lula, Lewandowski e parlamentares vazam na internet

Dados partiram de usuário que divulgou informações de réus do mensalão. Segundo assessores, várias informações são incorretas ou desatualizadas

Dados pessoais atribuídos ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski, ao publicitário Marcos Valério e a diversos parlamentares foram divulgados na internet nesta quinta-feira (10) através do Twitter. As informações foram disseminadas pelo mesmo usuário que divulgou na terça dados de petistas condenados no julgamento do mensalão.

A página exibida traz protesto pelo fato de Lula não ter sido denunciado no processo do mensalão. "O mensalão, um dos maiores escândalos de corrupção do Brasil, em todos os tempos, está em julgamento, mas não dá para esperar muito de todo esse circo que se formou, pois a própria justiça brasileira está falida, e não é de agora", diz trecho de um texto de abertura.

A página apresenta nomes completos, CPFs, datas de nascimento, endereços, celulares e empresas supostamente ligadas ao ex-presidente, Valério e Lewandowski. Além deles, há também dados dos senadores Aécio Neves e Renan Calheiros, do deputado Paulo Maluf (PP-SP) e do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), condenado no mensalão.

Em determinado trecho, a página diz que as informações foram "confirmadas" no Serasa. Por meio de sua assessoria de imprensa, a empresa, que realiza análise de crédito no mercado, negou invasão não autorizada de seus sistemas.

Assessores e advogados de Aécio, Maluf, Jefferson e Renan dizem que eles não pretendem acionar a polícia ou a Justiça para tentar investigar ou punir os responsáveis pelo vazamento, já que boa parte das informações são públicas. Segundo as assessorias, vários dados, como números de celulares e endereços, estão incorretas ou desatualizadas.

"Creio que não há nenhum tipo de problema [vazamento das informações pessoais]. O que o sujeito fez foi uma quebra de intimidade. Pelo que eu conheço dele (Jefferson), não fará nada. Não vejo nenhuma utilidade nisso. Ele é uma pessoa pública, informar dados não tem problema. O melhor é não fazer nada".

O advogado de Marcos Valério, Marcelo Leonardo, não quis comentar o suposto vazamento de dados pessoais do cliente dele. "Não me manifesto sobre matéria que tenha origem em informações ilícitas", afirmou o criminalista.

As assessorias de Lula e Lewandowski não foram localizadas até a última atualização desta reportagem.

Fonte: G1