Datafolha divulga nova pesquisa de intenção de voto para presidência

Pesquisa divulgada nesta noite de Sábado(22)

O jornal Folha de São Paulo publicou mais um rodada de pesquisas do Instituto Datafolha sobre a intenção de voto nas eleições presidenciais.

No cenário sem Ciro Gomes, que já saiu da disputa, Dilma Rousseff, do PT, subiu sete pontos percentuais desde o último levantamento.

É a primeira vez que Dilma aparece, no Datafolha, empatada com José Serra, do PSDB. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Em fevereiro, José Serra tinha 38% das intenções de voto. Foi para 40%, em março, 42%, em abril e agora caiu para 37%.

Dilma Rousseff tinha 31% em fevereiro, passou para 30%, manteve os 30% e subiu para 37%, empatada com Serra.

Marina Silva, do PV, tinha 10% em fevereiro, manteve os 10%, foi para 12% e agora manteve os 12%.

Brancos e nulos somavam 11%, depois 9%, 8% e agora são 5%.

Os que não souberam eram 10%, passaram para 11%, depois 8% e agora são 9%.

O Datafolha fez uma simulação para segundo turno, entre José Serra e Dilma Rousseff. Dilma aparece um ponto percentual à frente de Serra, o que significa que os dois estão tecnicamente empatados, dentro da margem de erro.

Em fevereiro, Dilma tinha 41% nessa simulação. Em março, passou para 39%. Em abril, para 40%. E, agora, subiu para 46%.

Considerando a margem de erro, tem entre 44% e 48%.

José Serra tinha 45%. Depois, 48%, 50% e, agora, caiu para 45%.

Com a margem de erro, tem entre 43% e 47%.

Os dois estão, portanto, tecnicamente empatados.

Brancos e nulos somavam 8%, depois, 7%, 5%. E, agora, também 5%.

Os que não souberam eram 7%. Depois, 6%, 5%. E agora, 4%.

O Datafolha também fez uma avaliação do governo do presidente Lula. O percentual voltou a um nível recorde de aprovação, que já tinha sido registrado em março.

Em fevereiro, 73% consideravam o governo Lula ótimo ou bom. Em março, eram 76%, o maior percentual desde que Lula assumiu, em 2003. Em abril, eram 73%. E, agora, novamente 76%.

Os que consideram o governo regular eram 20%. O índice se manteve, depois foi para 22% e, agora, está em 19%.

E os que acham o governo ruim ou péssimo eram 5%, depois, 4%, 5% e, agora, novamente, 5%.

Os que não souberam responder somaram 1% em cada uma das últimas quatro rodadas.

O Datafolha ouviu 2.660 pessoas, em 162 municípios, quinta e sexta. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral.

Fonte: g1, www.g1.com.br