Defesa de Deborah Guerner pede que Justiça revogue prisão

Defesa de Deborah Guerner pede que Justiça revogue prisão

A autorização para a prisão foi concedida pela desembargadora do TRF Mônica Sifuentes

A defesa da promotora de Justiça Deborah Guerner e de seu marido, Jorge Guerner, pediu nesta segunda-feira (25) que o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) revogue a prisão preventiva do casal, realizada na última quarta-feira (20).

A autorização para a prisão foi concedida pela desembargadora do TRF Mônica Sifuentes. Deborah e o marido passaram o feriado de Páscoa presos na carceragem da Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, desde a última quarta-feira (20).

Os dois são acusados pelo Ministério Público Federal de suposta fraude processual e por terem viajado à Itália sem prévia comunicação à Justiça. Os advogados do casal aguardam ainda que o ministro Napoleão Nunes Maia Filho, relator do processo no Superior Tribunal de Justiça (STJ), sobre o mérito do pedido de liberdade feito na última quarta. O caso só deve ser julgado após o recebimento de informações do TRF da 1ª Região e da manifestação do Ministério Público Federal.

Deborah Guerner é suspeita de forjar insanidade mental para não responder processo em que é acusada de corrupção. Ela é investigada em pelo menos três processos relacionados ao suposto esquema de corrupção envolvendo membros do Executivo e Legislativo do Distrito Federal, conhecido como mensalão do DEM, o que ele nega.

Na última quinta-feira (21), o casal teve pedido de habeas corpus negado pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) João Otávio de Noronha. Nesta segunda-feira, a promotora completou 49 anos na cadeia.

Fonte: g1, www.g1.com.br