Defesa de Odebrecht tem até esta segunda para esclarecer anotações

Mensagens referem-se a supostas manipulações na investigação

A defesa do presidente da Odebrecht S.A., Marcelo Odebrecht, tem até esta segunda-feira (27) para esclarecer o conteúdo das anotações encontradas pela Polícia Federal (PF) no celular do executivo. Segundo o juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, as anotações fazem referências a supostas manipulações nos trabalhos de investigação da PF e da Justiça Federal.


Image title

O magistrado estendeu o prazo até esta segunda a pedido dos advogados, que justificaram o pedido dizendo que precisariam falar com o próprio Marcelo para que ele esclarecesse os fatos.

Marcelo Odebrecht está preso desde 19 de junho, ficou detido 36 dias na carceragem da Superintendência da PF, em Curitiba, e foi transferido junto com outros sete investigados da 14ª fase para o Complexo Médico-Penal em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

No smartphone do executivo, conforme o inquérito protocolado na terça-feira (21), foram encontrados os seguintes textos, transcritos no formato original, conforme a Justiça:"MF/RA: não movimentar nada e reimbolsaremos tudo e asseguraremos a familia. Vamos segurar até o fimHigienizar apetrechos MF e RAVazar doação campanhaNova nota minha midia?GA, FP, AM, MT, Lula? ECunha? (...)"

MF e RA podem ser siglas referentes a Silva e Araújo, subordinados diretos de Odebrecht e também investigados por crimes de corrupção na Petrobras, segundo o juiz Sérgio Moro. O juiz explica que a anotação indica que ambos estariam sendo orientados a não movimentar suas contas e que, no caso de sequestro e confisco judicial de bens e valores, seriam reembolsados.

Fonte: Com informações do MSN