Depois de nomeação de secretário, PV descarta coligações no 1º turno e terá candidatura própria

Teresa Brito (PV), descartou alianças com os demais pré-candidatos governistas e garantiu que o PV terá candidatura própria

O episódio envolvendo a nomeação do secretariado municipal de Teresina ainda rendeu na Câmara dos Vereadores. Ainda questionando a nomeação de Virgino para comandar a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam), a vereadora Teresa Brito (PV), que é presidente regional do PV, descartou alianças com os demais pré-candidatos governistas e garantiu que o PV terá candidatura própria nas eleições.

Segundo a parlamentar, o partido precisa mostrar suas bandeiras de luta, principalmente a favor do meio ambiente. ?Agora mais do que nunca, afirmo que o PV lançará candidatura própria. Pelo menos no primeiro turno, não iremos fazer coligações com os nomes que já estão postos como candidatos ao Governo do Estado?, garantiu, acrescentando que o lançamento de uma candidatura própria atende também a um anseio popular. ?Estamos recebendo muitas adesões e mensagens de pessoas que se identificam com nossa bandeira de luta e desejam se filiar ao PV?, adiantou.

Não negando que a postura do prefeito de Teresina, Elmano Férrer (PTB) provocou um distanciamento das duas siglas nas eleições deste ano, a vereadora acrescentou que irá à Natal na próxima semana para definir uma agenda para a senadora Marina Silva (PV) ao Piauí. O partido ainda trabalha com os nomes de Cleanto Jales, Valdemar Rodrigues e Deocleciano Guedes para encabeçar a chapa ?dos verdes?.

Segundo a vereadora, o PV não faz mais parte da base aliada da Prefeitura e só voltaria se o prefeito Elmano Férrer reconhecesse ?seu erro? com a indicação do vereador Valdemir Virgino. ?Só retornaríamos a base aliada da prefeitura, caso ele tivesse humildade e reconhecesse publicamente que errou na indicação dos secretários da Semam?, sugeriu, ressaltando que o PV não aguarda cargos. ?Só queríamos que ele tivesse nomeados técnicos, pessoas que entendessem de meio ambiente. Não se aprende de um dia para outro e Teresina tem pressa?, sugeriu. (M.M)

Fonte: Mayara Martins