Deputada faz post respondendo críticas por amamentar na Assembleia

Manuela também aproveitou para levantar uma reflexão.

Toda mãe sabe que o leite deve ser o único alimento oferecido a um bebê durante os seis primeiros meses de vida – exceto quando isso não é possível, é claro. Essa é a recomendação da Organização Mundial da Saúde, que indica ainda que as crianças devem ser amamentadas, como complemento à alimentação, até os dois anos de idade. Mas o que acontece quando uma deputada resolve amamentar a filha em plena sessão na Assembleia? A repercussão é enorme.

Foi que aconteceu com a deputada Manuela D’Ávila, que foi fotografada amamentando sua filha Laura, de 11 meses, durante a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, no dia 29 de junho. A fotografia acabou correndo o mundo e virou notícia em diversos países da América Latina e Europa, além da Índia, Japão e Nigéria.

“Via de regra, a amamento ou no gabinete ou no banheiro. Busco um local em que ela se sinta acolhida. Aquele dia, porém, a comissão começou a se estender por pautas trazidas por mim. Ela mamou ali. E dormiu. todas as mulheres que são mães e amamentam ou amamentaram sabem que esse gesto é natural e espontâneo!“, comentou ela em uma postagem no Facebook realizada ontem.

Manuela também aproveitou para levantar uma reflexão do porquê sua imagem amamentando ao lado da filha em um espaço de poder incomoda tanto. “A política é masculina e machista, a política não tem espaço para as mulheres, a política não tem espaço para o que nos diferencia dos homens, a política não tem espaço para a ingenuidade e para a alegria das crianças, não tem espaço para a naturalidade com que conciliamos nosso trabalho e nossas lutas com nossos bebês. Levar Laura comigo tornou-se, sem que eu percebesse, uma forma de resistir a política que desumaniza.“, escreveu.

Image title

Image title

Fonte: Hypeness