Deputado Índio da Costa será o vice de Serra

Deputado Índio da Costa será o vice de Serra

Rodrigo Maia disse que a opção por Índio da Costa "não foi uma decisão de partido A ou B"

O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), disse nesta quarta (30), em São Paulo, que o deputado federal Índio da Costa (DEM-RJ) será o candidato a vice na chapa do presidenciável tucano José Serra.

Maia concedeu entrevista coletiva no início da tarde diante da casa de Serra, em São Paulo. A escolha resultou de negociações entre integrantes das cúpulas do DEM e do PSDB na madrugada desta quarta.

A indicação de um nome do DEM é decorrência da crise que se abriu entre os dois partidos depois que foi tornada pública pelo presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, a informação de que o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) era o nome escolhido pelos tucanos para vice de Serra.

Rodrigo Maia disse que a opção por Índio da Costa "não foi uma decisão de partido A ou B". Segundo ele, a intenção foi procurar "um nome jovem" - Costa tem 39 anos. "Essa escolha é muito boa, e o partido fecha integralmente", disse ex-senador Jorge Bornhausen (SC), presidente de honra do DEM.

"Foi um nome que se construiu ao longo das últimas horas, primeiro com o diálogo com o [ex-] governador Aécio Neves (PSDB-MG), com o nosso candidato a presidente, e chegamos ao nome dele", declarou Maia.

Ele negou que a crise provocada pelo vazamento da informação sobre a escolha de Alvaro Dias pelos tucanos tenha deixado sequelas na relação entre PSDB e DEM. "Essas questões estão todas superadas. O diálogo foi importante", disse.

Rodrigo Maia afirmou que o deputado tem uma atuação "importante" no Rio de Janeiro e trabalhou "de forma muito correta" no projeto Ficha Limpa, que impede as candidaturas de políticos com condenações judiciais em órgãos colegiados.

"Tenho certeza que é um nome que vai agregar muito nas eleições deste ano", afirmou Maia. Segundo o presidente do DEM, o próprio candidato José Serra concederá uma entrevista coletiva às 17h30 desta quarta em Brasília para falar sobre a escolha do vice.

"Ele [Índio da Costa] tem a cara dessa renovação que o DEM vem fazendo. Tem atuação destacada na Câmara e vem de um estado que é o terceiro maior colégio eleitoral do país", afirmou o vice-presidente do DEM, deputado federal ACM Neto (BA).

Segundo ACM Neto, o nome de Índio surgiu na mesa de negociações na madrugada desta quarta, durante encontro em São Paulo entre Rodrigo Maia, José Serra e líderes dos dois partidos. ACM Neto disse que Serra teve "participação direta" na escolha.

Depois de ter a indicação retirada, o senador Álvaro Dias disse que só vai comentar a escolha do deputado Índio da Costa para concorrer ao posto de vice na chapa encabeçada por Serra depois de conversar com o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE). Segundo ele a conversa ocorrerá ainda nesta quarta.

Após o anúncio feito por Rodrigo Maia, Roberto Freire, presidente do PPS, partido que aliança de apoio a Serra, chegou à casa do presidenciável tucano. Ele disse aprovar o nome de Índio da Costa e afirmou que o escolhido para vice ?tem mais experiência política? do que a ex-ministra Dilma Rousseff, candidata do PT à Presidência da República.

Para Roberto Freire, se na noite de terça o senador Osmar Dias (PDT-PR) não tivesse se lançado candidato ao governo do Paraná, o nome do irmão dele, senador Alvaro Dias (PSDB-PR) teria se consolidado como o vice de Serra. No Paraná, o PSDB esperava atrair o PDT, mas Osmar Dias decidiu ser candidato por uma coligação que apoiará a candidata a presidente pelo PT, Dilma Rousseff.

Segundo Rodrigo Maia, "a questão do Paraná se desfez não por uma vontade do PSDB, mas por uma questão local, pela decisão do Osmar, e era preciso procurar outro nome".

Perfil

Antonio Pedro de Siqueira Indio da Costa nasceu no Rio em outubro de 1970. É bacharel em Direito pela Universidade Cândido Mendes, com especialização em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Costa foi vereador na Câmara Municipal do Rio nas legislaturas de 1996, 2000 e 2004. Em 2006, se elegeu deputado federal. Na Câmara, é membro da Comissão de Constituição e Justiça, da Comissão de Defesa do Consumidor; e da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática. Foi relator do Estatuto da Metrópole e do projeto de lei que deu origem ao Ficha Limpa.

Fonte: g1, www.g1.com.br