Deputado propõe aumento de pena de aborto em casos de microcefalia

O deputado disse que a microcefalia não pode ser motivo para aborto

O tema microcefalia aborda diferentes casos e problemas em todo o mundo. Desta vez, o deputado federal Anderson Ferreira (PR-PE) vai apresentar na próxima semana um projeto para reforçar o fato de que é crime o aborto.

O parlamentar, autor do polêmico Estatuto da Família, que define que um casal só é formado por homem e mulher, já acionou sua assessoria para avaliar se cabe um aumento de pena para essa hipótese de aborto.

"Não tem nada de defesa da mulher, é assassinato. A microcefalia não pode ser bandeira de ativismo em prol do aborto”, falou ele.

Professor do Instituto de Direito Público de São Paulo, o juiz de Direito Álvaro Ciarlini avalia que a defesa do direito ao aborto em casos de suspeita de microcefalia toma por base uma lógica eugênica, ao contrário do que defendem grupos feministas.

"A microcefalia não é incompatível com a vida. A possibilidade da interrupção da gravidez nesses casos nada mais é do que se revitalizar a eugenia, a pré-seleção dos indivíduos."

Deputado Anderson Ferreira (Crédito: Reprodução)
Deputado Anderson Ferreira (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do UOL