Deputado que disse comprar votos ao CQC pode ser preso

A Polícia Federal também foi acionada a encaminhar - se existir - todos os pedidos de investigação abertos

Após afirmar ao programa Custe o Que Custar (CQC), da TV Bandeirantes, que comprava votos para se eleger, o deputado estadual Temóteo Correia (DEM) virou alvo de procedimento administrativo aberto pelo Ministério Público Eleitoral. Ele terá cinco dias para dar explicações sobre o que disse ao programa humorístico.

A Polícia Federal também foi acionada a encaminhar - se existir - todos os pedidos de investigação abertos contra o parlamentar do Democratas. A TV Bandeirantes, que deve exibir a entrevista na próxima segunda-feira, vai receber nos próximos dias ofícios pedindo as cópias da gravação. Segundo o procurador Eleitoral, Rodrigo Tenório, comprar votos gera perda de mandato e prisão de até quatro anos.

Declarações polêmicas

O repórter Ronald Rios, novo membro da equipe do CQC, abordou o deputado nesta quarta-feira. Entre várias declarações, Correia deixou claro que é favorável à compra de votos para benefício eleitoral. "Eu compro voto sim e, em São Paulo, os políticos roubam mais do que a gente em Alagoas. Onde se tem mais dinheiro, rouba-se mais, isso é até lógico. E o roubo acontece no País inteiro, não só aqui no Estado", disse Correia.

Em outro momento da entrevista, o político admitiu que a corrupção faz parte do cotidiano no Brasil. "Você deve roubar muito mais do que eu e, ainda por cima, trabalha para ladrão que explora a miséria do povo. A imprensa é corrupta e leva o dinheiro da gente, ela é pior que político. Parte do que ganhamos vai para vocês jornalistas. Mas, apesar disso, quero dizer que pessoas desonestas existem em todos os lugares e de todo tipo, tem políticos, jornalistas, empresários. A corrupção é generalizada no Brasil", contou o parlamentar.

Fonte: Terra