Deputados discordam de Nazareno Fonteles

Para a bancada de oposição, as considerações do deputado federal empurram o PTB para oposição.

O deputado federal Nazareno Fonteles (PT) também defende a imposição da candidatura própria do seu partido e suas declarações durante entrevista na TV provocaram novo abalo na base aliada. O parlamentar chegou a ser indelicado com João Vicente e Elizeu Aguiar, ambos do PTB, o que gerou a reprovação por parte de aliados e oposição na sessão de ontem da Assembléia Legislativa.

Para o deputado Warton Santos, que exerce a liderança do PMDB na Casa, o que mais chamou a atenção na explanação de Nazareno Fonteles, diz respeito à afirmação onde o parlamentar petista enfatiza que o governador Wellington Dias (PT), não tem poder de decisão sobre a maioria dos integrantes do partido que prefere a indicação de um correligionário para a sucessão governamental.

?Acho que o deputado Nazareno se precipitou ao afirmar que o governador Wellington Dias não teria força suficiente para impedir uma candidatura do PT para representar o atual modelo administrativo estadual, pois eu acho que ele tem sim. Ele vai manter o acordo onde o nome melhor colocado nas pesquisas será o representante da base?, afirmou Warton Santos.

Já para a bancada de oposição, as considerações do deputado federal acerca do senador João Vicente Claudino, afirmando que o mesmo não tem condições de ser indicado pela base, porque em 2008 ele não apoiou o projeto do PT para a Prefeitura de Teresina, empurram o PTB para oposição.

Para Marden Menezes (PSDB), a maneira de fazer política do PTB se aproxima mais do modelo administrativo tucano, salientado que a ?queda de braço?, entre os petistas e seus aliados pela candidatura ao cargo de governador vai acabar ocasionando uma migração de governistas para o lado da oposição.

?O PTB sempre foi mais próximo do PSDB, basta observar a maneira de fazer política entre os dois partidos. A ambição do PT em se manter no governo do Estado vai bater de frente com o interesse da maioria dos partidos da base aliada, e a tendência é a migração das siglas aliadas para a oposição?, pontuou Marden.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte