Deputados dizem que acompanharão votação do pré-sal no Senado

o governador destacou que, caso seja aprovada no Senado, o Piauí deverá receber ainda este ano, cerca de R$350 milhões

Depois de muita luta, a Câmara dos Deputados aprovou a emenda que prevê uma distribuição mais igualitária dos royalties provenientes da exploração da camada pré-sal a todos os municípios brasileiros. A emenda segue agora para votação no Senado Federal. Caso seja aprovada, o Piauí receberá cerca de R$1,2 bilhão por ano. A aprovação da emenda foi bastante comemorada pelo governador Wellington Dias e pelos membros da bancada federal piauiense.

O governador lembrou que, a aprovação na Câmara foi um passo importante dado, sobretudo pela bancada piauiense que se empenhou bastante para que os recursos fossem distribuídos de maneira mais igualitária. ?O Marcelo Castro está de parabéns, não só ele, mas toda a bancada piauiense que teve um importante papel na aprovação dessa emenda, que destinará um volume grande de recursos para o Piauí?, destacou, acrescentando que, caso seja aprovado no Senado, o Piauí deverá receber ainda este ano, cerca de R$350 milhões.

Quem também se mostrou bastante satisfeito com os resultados da votação foi o deputado federal Júlio César (DEM). ?Foi uma coisa fantástica. Tivemos uma adesão de todos os parlamentares piauienses, que votaram a favor. A nossa luta agora é para aprovar no senado?, frisa, acrescentando que a aprovação no Senado deverá demorar cerca de 90 dias. ?É uma estimativa, porque quando a emenda chegar ao Senado, o que deve acontecer na próxima semana, deverá ser constituída uma comissão para tratar do assunto?, justifica.

Em relação ao Senado, a expectativa de aprovação é ainda maior entre os parlamentares e ao governador Wellington Dias. ?No Senado, a representação é igualitária, onde cada Estado possui três representantes. Por este motivo, a aprovação deverá acontecer com maior facilidade, mas nada que nos permite relaxar. A meta é trabalhar para fazer com que o senado vote até o mês de abril, de preferência?, destaca Dias, acrescentando que a prioridade é destinar um maior volume de recursos para as áreas de saúde, educação, segurança e meio ambiente.

Um dos maiores defensores da aprovação da emenda, o deputado federal Marcelo Castro (PMDB) fez questão de ressaltar que ?todos os passos da emenda serão acompanhados? para agilizar os trâmites de aprovação no senado e sansão presidencial. ?Será votada com agilidade porque todas as dificuldades já foram superadas. Já houveram especulações de que o Lula vetaria, mas isso não vai acontecer porque ele não vai querer ir contra o povo brasileiro para satisfazer interesses do Rio de Janeiro?, argumenta. (M.M)

Fonte: Mayara Martins