Deputados do Distrito Federal deixam caso Arruda para 2010

Análise de pedidos de impeachment e instalação de CPI ficam para 2010

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (DF) entrou oficialmente em recesso parlamentar nesta quarta-feira (16). Porém, o recesso será mais curto, pois os deputados aprovaram a convocação extraordinária da Casa a partir de 11 de janeiro de 2010 para tratar dos pedidos de impeachment do governador José Roberto Arruda e da instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará as denúncias de corrupção no governo

. O escândalo que ficou conhecido como mensalão do DEM de Brasília começou no dia 27 de novembro, quando a Polícia Federal deflagrou a operação Caixa de Pandora. No inquérito, Arruda é apontado como o comandante de um esquema de distribuição de propina a deputados distritais e aliados.

Repasses de dinheiro foram registrados em vídeos e entregues à PF por Durval Barbosa, ex-secretário do governo do DF que denunciou o esquema. As férias dos parlamentares serão suspensas no dia 11 de janeiro, quando serão instaladas a CPI e a comissão especial que analisará os pedidos de impeachment do governador, e definida a nova composição da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Antes do acordo, o período de descanso dos deputados iria até 31 de janeiro e os trabalhos recomeçariam no dia 1º de fevereiro. O anúncio da convocação extraordinária foi feito pelo presidente em exercício da Câmara Legislativa, deputado Cabo Patrício (PT). A convocação contou com a assinatura de 16 deputados distritais. A sessão foi encerrada às 3h desta quarta. Antes, a Casa aprovou o Orçamento para 2010.

Fonte: g1, www.g1.com.br