Deputados rejeitam recesso branco na Alepi

De acordo com o deputado estadual João de Deus (PT), foi “cogitada a possibilidade” de adiantar a votação do projetos

A proposta de um recesso branco - nome dado ao período em que os parlamentares se afastam dos trabalhos legislativos para se dedicarem às campanhas eleitorais - na Assembléia Legislativa foi rejeitada pelos deputados piauienses. De acordo com o deputado estadual João de Deus (PT), presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Alepi, foi ?cogitada a possibilidade? de adiantar a votação do projetos para que os parlamentares pudessem se dedicar exclusivamente às campanhas eleitorais, já que a maioria dos membros da Casa concorre à reeleição.

?Temos pouco tempo para andar o Estado e isso termina comprometendo os trabalhos, mas não impede que estejamos na Assembléia para votar as matérias importantes?, explicou o petista, que se posicionou contra o recesso branco. ?Houve um entendimento que isso não deveria acontecer e as atividades na Assembléia continuarão normalmente?, completou João de Deus.

Segundo o deputado, o presidente da Alepi, Themístocles Filho (PMDB), foi o responsável por levar aos parlamentares a ideia de afastar os deputados do trabalho nas duas semanas que antecedem as votações. ?O Congresso resolveu fazer o recesso branco, mas no caso da Assembléia foi cogitada a ideia e rejeitada?, ponderou. Já Themístocles nega que tenha existido conversas nesse sentido. ?Nunca comentei isso com ninguém, quem decide são as lideranças partidárias?, enfatizou.

De acordo com o Regimento Interno, a quantidade de deputados que comparecem ao plenário nos dias de sessões não estaria sendo suficiente para a abertura dos trabalhos legislativos. ?Mesmo havendo falta de quorum nas sessões, estamos apelando para os deputados se reunirem em três comissões técnicas para apreciarem os projetos que foram propostos. São as comissões de Constituição e Justiça, Infra-estrutura e Administração?, disse.(S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte