Deputados só votam requerimentos de colegas em plenário do Piauí

Cabe ressaltar que a iniciativa foi pautada pela maioria

O baixo número de deputados presentes no plenário gerou polêmica durante a sessão ordinária de ontem na Assembleia Legislativa. Com a apresentação de requerimentos de parlamentares que não estavam em plenário, os deputados que participaram das discussões decidiram que a votação das ações encaminhadas pelos entes faltosos fosse adiada para o próximo ato, usando como base a possibilidade de que eles possam defender as ações ou esclarecer quaisquer dúvidas dos demais representantes.

"Sugiro que quando o autor não estiver, o requerimento seja retirado e colocado em outra ocasião", reforçou o deputado Flávio Nogueira Júnior (PDT). Cabe ressaltar que a iniciativa foi pautada pela maioria dos parlamentares.

A solicitação foi acatada pelo presidente da Casa, deputado Themístocles Filho (PMDB), que já orientou para que a partir da sessão de hoje sejam priorizados os requerimentos dos presentes. O líder do Governo, João de Deus (PT), também defendeu a medida. "Concordo, e só quero dizer que se na sessão seguinte ele não estiver, novamente não será votado", opinou.

A exceção, porém, ficou por conta daqueles que estão licenciados por orientação médica ou que justificaram a ausência, com a ação, a meta é ampliar o debate e possibilitar que a apreciação não seja prejudicada.

Quanto a estas questões, também foram dispostas outras orientações, de modo que possa dar maior celeridade às respostas, nisso ficou estabelecido que seja orquestrada uma maior proximidade com os gestores dos órgãos estaduais, de modo que alguns pedidos de obras ou informações sejam encaminhados já com a sinalização positiva dos representantes, tal que o tempo e a urgência nas solicitações seja o menor possível.

"Quero, inclusive, dizer que vou ficar atento a essas ques-tões", impôs Júnior, que alertou ainda para a repetição em algumas proposições.

Fonte: Francy Teixeira