DF:Carta com ameaças é entregue ao Presidente do Tribunal de Contas

A carta foi entregue pelos correios

O presidente do Tribunal de Contas do Distrito Federal, Renato Rainha, disse que ele e o conselheiro Manoel de Andrade foram ameaçados de morte. O motivo seria uma auditoria da Corte que apurou fraude na concessão de benefícios a militares que deixaram Brasília após a aposentadoria. Rainha disse que vai reforçar a segurança e sugerir um curso de defesa pessoal aos outros seis conselheiros.


Presidente do Tribunal de Contas é ameaçado (Crédito: Divulgação)
Presidente do Tribunal de Contas é ameaçado (Crédito: Divulgação)
Presidente do Tribunal de Contas é ameaçado (Crédito: Divulgação)
Presidente do Tribunal de Contas é ameaçado (Crédito: Divulgação)

A ameaça foi feita por carta anônima, postada no dia 11 de janeiro. O conselheiro diz que abriu o documento na semana passada.

A auditoria que apura as irregularidades na concessão do benefício teve início em 1999. Desde então o tribunal vem cobrando o reembolso do dinheiro desviado.

Ao todo, 350 policiais militares e 500 bombeiros são suspeitos de cometer a fraude. A investigação apontou que os militares não comprovaram a efetiva mudança de domicílio. Uma das evidências é o fato de que eles continuaram recebendo multas cometidas no DF.

A indenização de transporte foi um valor recebido entre 1995 e 2002 por militares na reserva. Inicialmente o benefício era destinado apenas a servidores das Forças Armadas, mas foi estendido às duas categorias do DF.

De acordo com o tribunal, militares mentiam a cidade para a qual se mudariam com o objetivo de receber auxílios que alcançavam R$ 200 mil (em valores atuais) – quanto mais longe do DF, maior a verba. O benefício era calculado com base no preço das passagens para a família e no custo da mudança.

A auditoria revelou que os suspeitos chegavam a indicar o mesmo endereço de residência e o mesmo corretor de imóveis. Um destino comum era a cidade de Tabatinga, no interior do Amazonas. Pelo menos 34 militares afirmaram que se mudaram para a cidade – desses, 31 assinaram contrato com um locatário em comum.

A Polícia Militar informou que não recebeu nenhum comunicado oficial sobre o caso. A corporação disse que os policiais que respondem ao processo estão aposentados há mais de dez anos e que alguns deles já morreram.



O Corpo de Bombeiros afirmou que iriam buscar as respostas junto aos “setores competentes da corporação”.

Pelo correio
A carta diz que Rainha e Manoel de Andrade, chamado de "Manoelsinho", mandaram "descontar indevidamente" de policiais militares e bombeiros a indenização do transporte pela mudança de cidade. O emissor se declara membro da inteligência da PM e afirma que "certos militares" estão prontos para matá-los.

"Se ate desembro vcs não resolverem a situação vocês irão pro inferno (sic)", diz um trecho.

O responsável pela carta diz que o conteúdo não se trata de uma ameaça, mas que é uma realidade, e que os dois "não verão o Natal deste ano”.

A carta foi aberta pelo meu chefe de gabinete, afirmou o presidente da Corte. "Quando li, levei a conhecimento dos demais conselheiros. Eles entenderam que poderia ser uma ameaça real", disse Rainha. O presidente afirmou ter comunicado a ameaça à Polícia Civil e aos comandos do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar. "Disseram que o setor de inteligência tomará todas as medidas necessárias."

Segundo Rainha, a carta foi escrita com erros de português como estratégia para que o emissor não fosse identificado. Para ele, a situação é um caso isolado. "Já sofri várias ameaças, mas por carta foi a primeira. Não estou com medo, mas vou redobrar os meus cuidados. Inclusive vou continuar andando armado", disse Rainha, que já foi delegado da Polícia Civil.

O presidente afirma que o tribunal tem efetivo para garantir a segurança dos conselheiros, mas pode pedir auxílio às outras corporações, caso seja necessário. "Vou oferecer aos conselheiros que quiserem fazer esse curso de defesa pessoal e também de orientação para defesa própria e de familiares", afirmou. "Vamos sempre tomar os cuidados necessários."

Leia abaixo a íntegra da carta

“Renato Rainha,
Vc e o Manoelzinho estão mandando descontar indevidamente dos PMs e BMs a indenização de transporte de 20 anos ou mais.
Vou lhe dar um aviso. Sou da inteligência da PM e já te como certos militares já prontos para mata vc e Manoelsinho.
Se ate desembro vcs não resolverem a situação vocês irão pro inferno.
Quero ver vc e ele com uma 12 nas suas caras e quero ver vocês cagarem de medo.
Não e ameaça. E uma realidade. Vocês vão morrer
Vocês não verão o Natal deste ano.”

Fonte: Com informações do G1