Dia Estadual da Pessoa com Deficiência será comemorado com sessão solene e caminhada

O secretário estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência, Hélder Jacobina, destaca a continuidade dessa política como o ponto forte

O dia 09 de junho representa a data em que o Piauí deu início a uma política de Estado na área da pessoa com deficiência. ?Em 09 de junho de 2003 foi sancionada pela Assembleia Legislativa do Estado do Piauí a lei que criava a coordenadoria estadual para inclusão da pessoa com deficiência, que hoje é uma secretaria, e o conselho estadual de defesa dos direitos da pessoa com deficiência, o CONEDE-PI. De lá para cá já houveram vários avanços e nesta data temos que refletir e avaliar as conquistas e desafios nessa área?, ressaltou o presidente do CONEDE-PI, Mauro Eduardo.

A programação referente às comemorações do Dia Estadual da Pessoa com Deficiência consta de uma sessão solene, que será realizada na Assembleia Legislativa do Estado do Piauí na manhã desta quinta-feira (06), onde serão homenageadas diversas pessoas que tem contribuído em relação à inclusão das pessoas com deficiência. Já no dia 07, sexta-feira, será realizada a 7ª Caminhada da Acessibilidade, que em 2013 terá como tema principal a inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

O secretário estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência, Hélder Jacobina, destaca a continuidade dessa política como o ponto forte que deve ser comemorado no Piauí. ?O importante é que essa política esta sendo continuada e ampliada pelo governador Wilson Martins. Hoje podemos ver em dados, fornecidos pelo IBGE 2010, que colocam o Piauí como o quinto estado do Brasil e primeiro do Nordeste em número de políticas de inclusão, o que mostra que esse trabalho está mostrando os resultados?, informa.

Hélder destaca a mudança de atitude que essas ações já proporcionaram. ?Vários municípios criaram ou vêm criando coordenadorias ou secretarias da pessoa com deficiência. Hoje temos um conselho cada vez mais fortalecido, o estado possui vários núcleos de apoio como no Ministério Público Estadual, comissões na OAB, órgãos de Defensoria Pública, entre outros. Isso mostra que a sociedade e os órgãos públicos estão mais sensíveis em relação à esse tema?, pontua.

Fonte: Ascom