Dias defende nome do PTB para vice de Wilson Martins

O ex-governador Wellington Dias (PT) parece ainda confiar na união dos partidos que faziam parte da base governista

O ex-governador Wellington Dias (PT) parece ainda confiar na união dos partidos que faziam parte da base governista. O petista, que é pré-candidato ao Senado Federal pelo Partido dos Trabalhadores, afirmou que trabalha para unir todos os partidos e ?acomodá-los? em uma chapa. Dias saiu em defesa de uma composição que teria como governador Wilson Martins (PSB), vice-governador, um membro do PTB, que poderia ser o próprio senador João Vicente Claudino, e como Senadores ele e o deputado federal Marcelo Castro (PMDB).

Dias lembrou que no final do ano passado, reuniu representantes de todos os partidos e comunicou que ?daquele time? sairia uma chapa vitoriosa. O ex-governador lembrou que havia estabelecido critérios para a escolha do candidato que encabeçaria a chapa e que, por este motivo adiou a decisão. ?O nome do Wilson foi o que prevaleceu. É por isso que defendo que o PTB deva sair como vice do Wilson, seja o João Vicente Claudino ou alguém indicado por ele?, argumentou, lembrando que o Wilson é ?seu candidato?. ?Agora mais do que nunca já que o meu partido (o PT) também aprova o nome do Wilson como candidato a governador?, pontuou.

Questionado sobre possíveis dívidas que teria com o senador João Vicente Claudino, por conta das eleições de 2006, Dias fez questão de esclarecer. ?O acordo foi que ele daria apoio a minha candidatura a governador e nós o apoiaríamos para o senado. E cumprimos isso e saímos vitoriosos. Mas o acordo não incluiu 2010?, garantiu, acrescentando que ainda buscará um diálogo com o petebista. ?Política não é uma arte de fazer inimizade. Continuo com uma relação de respeito e amizade, reconhecendo a importância da atuação do senador no Congresso?, pondera.

Em relação às declarações do senador João Vicente que afirmou ao ministro Alexandre Padilha que Dilma Rousseff terá dois palanques no Piauí, Wellington Dias lembrou que a situação é semelhantes em outros Estados, como o Rio Grande do Sul. ?É possível sim ter dois palanques, embora não seja o ideal?, reitera. O petista garantiu que o deputado federal Marcelo Castro está entusiasmado com a possibilidade de sair candidato a senador juntamente com ele. ?O Marcelo Castro defende essa proposta. O seu nome é forte para o Senado e, assim, temos grandes chances de vitória?, ressalta, acrescentando que quer contar com o apoio ?em peso? do PMDB. (M.M)

Fonte: Mayara Martins