Dias e Marcelo Castro participam do sepultamento de Lucídio Portela

Lucídio Portela morre em Teresina

O governador Wellington Dias (PT); o ministro da Saúde, Marcelo Castro (PMDB); o prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB); e o senador Elmano Férrer (PTB), participaram do sepultamento, ao meio-dia, do ex-governador Lucídio Portella, no cemitério Jardim da Ressurreição, na Vila Alto da Ressurreição, na zona Sudeste de Teresina.

Em meio a cânticos e palmas, o caixão de Lucídio Portella foi fechado por volta das 12h30. Os netos de Lucídio Portella choraram muito. Após chegar de Brasília, o ministro Marcelo Castro disse que Lucídio Portella tinha um perfil afirmativo, claro e transparente.

“Não tenho dúvidas de que a pessoa política de Lucídio Portella foi uma das mais importantes e mais honestas do Piauí. Tanto como governador, quanto como senador", falou Castro.

A filha do ex-governador, deputada federal Iracema Portella disse que Lucídio Portella morreu como um passarinho. O governador Wellington Dias disse que Lucídio Portella sempre teve grande paixão pelo trabalho, tanto na medicina, quanto na política. Segundo ele, o legado serve de escola para outros políticos, inclusive para ele próprio, por sempre representar firmeza e lealdade aos seus princípios.

"Por causa da falta de água na região, que é muito seca, naquela época as inaugurações de chafarizes eram eventos grandiosos, porque eram consideradas obras muito importantes para a população. Lembro do Lucídio Portella chegando na cidade como governador para participar daquele momento. Todas as atenções ficaram voltadas para ele", declarou Dias.

A vice-governadora Margarete Coelho (PP) disse que teve a honra de conviver com Lucídio Portella, que adotou o ex-deputado estadual Marcelo Coelho. Margarete e Marcelo Coelho são casados. “Foi um excelente avó para meus filhos”, declarou Margarete Coelho.

O presidente estadual do PSDB, deputado estadual Marden Menezes, disse que, apesar de jovem teve alguns encontros com Lucídio Portella. Ele lembrou que seu pai, o ex-prefeito de Piripiri e ex-deputado estadual Luiz Menezes, quando era do PDS, teve embates políticos com Lucídio Portella e até saiu do partido brigado com ele. Isso foi algo público na época.

“Passados alguns anos, eu estava almoçando em um restaurante em Teresina, e o Lucídio estava mesmo local, mas em outra mesa. De repente, um garçom veio me dizer que o ex-governador estava me chamando. Estranhei, até pelo fato ocorrido com meu pai, mas quando cheguei à mesa, ele me teceu muitos elogios e disse que eu era um dos melhores parlamentares do Piauí e que estava no caminho certo. Vindo dele, foi um lisonjeio muito grande", falou Marden Menezes.

O deputado federal José Maia Filho, o Mainha (Solidariedade), disse que Lucídio Portella representou uma fase na política do Piauí, em que o maior patrimônio era a palavra. “Representou a política da seriedade, do compromisso e da honradez”, falou Mainha.

“Lucídio Portella representou o exemplo de dignidade, de austeridade, de honestidade e de bons exemplos. A sua voz , o que ele dizia, era o que acontecia. Ele dizia o sim e dizia o não, mas não empurrava os problemas, decidia na hora que falava. Se fosse possível, dizia resolvia, se não era possível dizia não”, falou o deputado federal Júlio César Lima, que foi prefeito nomeado de Guadalupe na mesma época em que Lucídio Portella era governador.

Fonte: Efrém Ribeiro - Jornal MN