W. Dias participa da contratação de 300 casas em Campo Maior

W. Dias participa da contratação de 300 casas em Campo Maior

O evento contou com a presença do gerente regional de governo da Caixa, Raimundo Nonato Andrade do Nascimento; da deputada estadual Rejane Dias

O senador Wellington Dias e técnicos da Caixa Econômica Federal, prefeitos, vereadores e líderes comunitários assinaram no último sábado, dia 10, a última etapa do contrato de financiamento para a construção de 300 casas do Programa Minha Casa Minha Vida, por intermédio do Programa Nacional de Habitação Rural na zona rural de Campo Maior.

250 unidades já haviam sido contratadas em 2012 para esta primeira etapa e as 50 famílias restantes que assinaram o ato no final de semana estão situadas nas localidades Bom Lugar, Água Fria, Buritizinho, Varjota, Fazendinha, São Joaquim, Poção II e Tapera, beneficiando agricultores desta região.

O evento contou com a presença do gerente regional de governo da Caixa, Raimundo Nonato Andrade do Nascimento; da deputada estadual Rejane Dias; do prefeito eleito de Campo Maior, Paulo Martins; gestores de vários municípios do entorno de Campo Maior; do presidente da Associação dos Moradores de Bom Lugar, Antônio Ibiapina e de várias lideranças comunitárias.

As casas serão construídas num prazo de 12 meses e terão área total entre 70 m², distribuídos em 2 quartos, sala, banheiro, cozinha, varanda e área de serviço externa. O investimento é superior a R$ 5 milhões e o subsídio do Minha Casa, Minha Vida é de R$ 25 mil por unidade. O valor médio de R$ 25 mil das unidades habitacionais, mais baixo em relação às áreas urbanas, justifica-se pela disponibilidade de terrenos no meio rural e pelo sistema de produção das moradias: mutirão/autoconstrução assistida, administração direta e empreitada global. Cada família beneficiada paga apenas R$ 1.000,00 (4% do valor total do investimento), divididos em quatro parcelas anuais de R$ 250,00.

Enquadram-se no programa os agricultores familiares e os trabalhadores rurais, além dos pescadores artesanais, extrativistas, aquicultores, maricultores, piscicultores, ribeirinhos, comunidades quilombolas, povos indígenas e demais comunidades tradicionais.

As 300 casas para a zona rural da região de Campo Maior foram alocadas na época em que Wellington Dias estava ao final do segundo mandato de governador.

Programa já beneficiou mais de 42 mil famílias no Piauí

O gerente da Caixa, Raimundo Nonato Nascimento, explicou que a instituição já beneficiou mais de 42 mil famílias de agricultores e trabalhadores rurais, por intermédio do Programa Nacional de Habitação Rural, desde o seu início em 2009 até setembro deste ano. Ele destacou o grande esforço de Wellington Dias, bem como dos deputados federais, Assis Carvalho e Jesus Ro- drigues ? ambos do PT, na execução deste programa.

Na ocasião, o executivo da Caixa explicou detalhadamente as regras do programa com ênfase à proibição absoluta de venda, aluguel ou doação dos imóveis. ?No caso de alguém desistir por alguma razão de permanecer na moradia, a casa tem que ser devolvida à CEF para que outra família seja beneficiada?, explicou ele.

Wellington Dias lembrou que o programa iniciou no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e prossegue na gestão de Dilma Rousseff. ?Os programas habitacionais do Governo Federal não incluíam moradias para o campo, portanto, foi um grande desafio para a gente convencer que a União deveria encampar a tarefa de combater o déficit de moradia na zona rural?, explicou o senador que foi um dos defensores do programa.

Mais uma vez, Dias lembrou que grandes obras não se restringem a colossos da engenharia e da tecnologia; para ele, uma grande ação é aquela que muda a vida das pessoas, referindo-se às habitações de alvenarias ali contratadas que vão substituir as casas de palha das famílias contempladas.

?O déficit habitacional da região não zera com estas 300 casas, porém, ao término desta primeira meta, ou-tras centenas de moradias estarão sendo planejadas?, finalizou Dias, enfatizando a importância do prefeito de Campo Maior, Paulo Martins, para que aquela obra se materializasse.

Fonte: Ananias Ribeiro