Dias permanece no cargo caso base fique desunida

Dias permanece no cargo caso base fique desunida

No caso da manutenção da unidade da base, o governador deixa o cargo para disputar uma vaga no Senado.

A cúpula petista se reuniu na manhã de ontem na Residência Oficial do governador Wellington Dias. Depois de quase cinco horas de reunião, foi tomada a decisão de que Dias permanece no cargo caso os 12 partidos que compõem a base governista não se mantenhan unidas. No caso da manutenção da unidade da base, o governador deixa o cargo para disputar uma vaga no Senado.

A reunião, segundo o presidente do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores, deputado Fábio Novo, foi motivada por pedidos da própria executiva do partido, que desejava ?se inteirar? do processo de conversação com as demais siglas que compõem a base aliada. ?A executiva do partido dialoga mensalmente com o governador para ter uma sintonia das conversações políticas com os outros partidos. Nos próximos dias, será anunciada uma decisão importante?, adianta, acrescentando que

o candidato da base deverá ser anunciado na primeira quinzena de março.

Novo justificou a demora da reunião afirmando que, no encontro, foi avaliada também a resolução do 4º

Congresso do Partido, que aconteceu em Brasília. O PT reafirmou a sua posição em manter o nome do secretário Antônio José Medeiros como pré-candidato do partido ao Governo do Estado. ?Nós temos o nosso pré-candidato que é o Antônio José. Por enquanto, todos os partidos mantêm suas pré-candida-

turas. No momento certo, culminaremos para a decisão?, enfatizou.

Nesse momento, entre os quatro pré-candidatos que compõem a base, o nome do senador João Vicente Claudino é o que está se saindo melhor nas pesquisas. Se o critério for respeitado, o governador deverá escolher o petebista como o candidato. Fábio Novo adiantou que, se a situação permanecer como está, Dias poderá sair do cargo e disputar o Senado, caso contrário, permanece à frente do Governo. ?A condição primordial para ele ficar no caso é a base ficar unificada. Se essa decisão tivesse que ser tomada hoje, pelas conversações que temos, é possível manter os partidos dentro da base?, adianta o deputado. (M.M)

Fonte: Mayara Martins