Dilma: Acesso à internet banda larga quase dobrou desde 2011

Governo vai investir por meio da Telebrás na expansão da rede pelo país.

A presidente Dilma Roussef afirmou na manhã desta segunda-feira (21) durante seu programa de rádio "Café com a Presidenta" que o acesso à internet em banda larga no Brasil quase dobrou desde o início de 2011, superando a marca de 72 milhões de conexões.

De acordo com a presidente, o governo federal vai investir diretamente, por meio da Telebrás, na ampliação de redes que levem a internet a todas as regiões do país. "Meu governo quer estimular cada vez mais a expansão do serviço de banda larga. Nosso país tem necessidade de caminhar para valores acima de 5 MB (velocidade de conexão)".

Dilma também destacou que cerca de 6 milhões de famílias que não acessavam a internet passaram a contar com o serviço por meio do Plano Nacional de Banda Larga desde o início do ano passado.

Uso da banda larga

A presidente salientou que uma das importâncias do acesso à internet em banda larga é o desenvolvimento da educação no país. "Não importa se um brasileiro ou uma brasileira mora numa cidade grande, no interior ou no meio da floresta: ele pode ter acesso ao que está acontecendo em todas as partes do mundo. E mais, ele mesmo poderá compartilhar com o mundo o seu conhecimento, a sua cultura e as opiniões suas e de todos aqueles que o cercam".

Segundo Dilma, 95% das escolas públicas urbanas de Ensino Fundamental e Ensino Médio têm conexão de internet em banda larga. "Isso significa que 32 milhões de estudantes e 1,5 milhão de professores podem buscar na internet mais conhecimento, mais informação, mais dados sobre aquilo que aprendem e o que ensinam nas nossas escolas", disse.

Em relação ao ensino superior e às escolas ténicas, Dilma citou a Rede Nacional de Educação e Pesquisa, "uma rede de altíssima velocidade que vai chegar a todos os 735 campus do interior e das capitais até 2014. Com essa rede, nós conseguimos atrair novos mestres e doutores que podem, inclusive, trabalhar à distância na formação de professores, na pesquisa científica e na telemedicina".

Cobrança

Dilma também apontou a necessidade de cobrar e fiscalizar a operação das empresas privadas que fornecem acesso à internet para a população. "Temos cobrado que elas aumentem o investimento para permitir que, a cada dia, o acesso à internet seja mais rápido e vendido a um preço justo".

"Com o acesso à internet rápida, nós vamos criar inúmeras oportunidades para mais brasileiros e para mais brasileiras. E, assim, vamos reduzir as desigualdades entre ricos e pobres", conclui a presidente.

Fonte: G1