Dilma: Bolsa Família é impessoal e evita clientelismo

Ela comemorou a ampliação no cadastro daqueles que recebem o dinheiro por meio do programa neste ano


Dilma: Bolsa Família é impessoal e evita clientelismo

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira que os repasses do Bolsa Família são feitos por um "método impessoal" que "evita clientelismo". em mais 407 mil registros (50% da meta de 800 mil). Ao todo, cerca de 13 milhões de famílias são atendidas pela iniciativa do governo.

A presidente associou o crescimento econômico à inclusão social com a inserção produtiva dos mais pobres na economia. "Nosso País mudou de paradigma de visão quando nós percebemos que para o País crescer nós precisávamos crescer junto com eles, e nós teríamos que elevar o nível de renda das populações mais pobres do País. Na nossa concepção, não há como este País ser rico se tiver pobres", afirmou.

Presente na assinatura de termos de compromisso para tirar da miséria 557 mil moradores das áreas urbana e rural do Centro-Oeste, Dilma salientou também a inscrição de 71 mil pessoas em vagas do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e 82 mil agricultores no Programa de Aquisição de Alimentos de Agricultura Familiar (PAA). Segundo a mandatária, "governadores de diferentes partidos podem e são capazes de conviver em um programa com a mesma bandeira".

"Em 2012, vamos fazer muito mais que isso. Foi preciso botar o bloco na rua; e agora que estamos com o bloco na rua, sabemos que será possível fazer muito mais", afirmou.

Ministros destacam programas sociais

Para a ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello entre as razões para aumentar o número de inscritos em programas sociais estão a articulação e integração das equipes locais (desde assistentes sociais até companhias elétricas), além da reformulação do Cadastro Único (CadÚnico). "O Cadastro Único está se tornando de fato um cadastro de políticas sociais", disse.

O Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, avaliou que a inclusão de pessoas nos programas sociais é fruto de novas formas de organizar os serviços de atendimento, como a criação de consultórios na rua funcionando até a meia-noite, o atendimento odontológico móvel na zona rural e o aumento das equipes do Programa Saúde da Família nas escolas.

Fonte: Terra