Dilma chega na Argentina para posse de Cristina Kirchner

Dilma chega na Argentina para posse de Cristina Kirchner

A presidente Dilma Rousseff recebeu cumprimentos na chegada a Buenos Aires

A presidente Dilma Rousseff chegou nesta sexta-feira a Buenos Aires para assistir, no sábado, à cerimônia de posse da presidente argentina, Cristina Kirchner, reeleita para um segundo mandato em outubro. O avião da Presidência brasileira aterrissou no aeroporto argentino às 20h35 (21h35 de Brasília) e Dilma deixou o local sem fazer declarações.

Mais cedo, os ministros da Indústria do Brasil, Fernando Pimentel, e da Argentina, Débora Giorgi, se reuniram em Buenos Aires para avançar na instrumentação do Mecanismo de Integração Produtiva (MIP), que Dilma e Cristina acertaram criar em reunião bilateral realizada na semana passada em Caracas, na Venezuela.

Para assistir à cerimônia de posse já chegaram à Argentina o príncipe das Astúrias, Felipe de Borboun, e o presidente da Bolívia, Evo Morales. Nas primeiras horas do sábado é esperada a chegada dos presidentes do Chile, Sebastián Piñera; Paraguai, Fernando Lugo; Uruguai, José Mujica; Guatemala, Álvaro Colom; e Honduras, Porfirio Lobo.

O venezuelano Hugo Chávez, o peruano Ollanta Humala, o equatoriano Rafael Correa e o colombiano Juan Manuel Santos cancelaram sua viagem a Buenos Aires no último momento por diversas razões. Outra ausência destacada será a do mexicano Felipe Calderón, que delegou a chanceler, Patricia Espinosa.

Atividades

Em sua primeira atividade oficial em Buenos Aires, no sábado, Dilma se reunirá com o presidente de Honduras, Porfirio Lobo. O encontro será a primeira reunião em nível de líderes entre ambos os países desde a crise política que Honduras viveu por causa da deposição de Manuel Zelaya em um golpe de Estado em junho de 2009.

O Brasil foi um dos países que mais demorou a restabelecer as relações com Honduras e só reconheceu o Governo de Lobo em junho passado, mais de um ano depois que ele ganhou as eleições de novembro de 2009, convocadas desde antes do golpe de Estado. Depois da reunião com Lobo, Dilma se ajustará à agenda e ao protocolo da posse de Cristina, após o que voltará a Brasília.

A presidente brasileira será acompanhada nos atos por seus ministros das Relações Exteriores, Antonio Patriota; Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel; e Comunicação, Helena Chagas. A delegação brasileira também é integrada pelo assessor de Assuntos Internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia, que tem uma estreita amizade pessoal com Cristina Fernández, e o porta-voz de Dilma, Rodrigo Baena.

Em uma nota divulgada pela ocasião da viagem de Dilma, o Ministério das Relações Exteriores destacou a importância das relações com a Argentina e o fato de que o comércio entre ambos os países chegou em 2010 à soma de US$ 33 bilhões. O comunicado acrescenta que entre janeiro e novembro passados essa troca cresceu 23,5% em relação ao mesmo período de 2010 e já soma US$ 36,5 bilhões, "o que garante que em 2011 haverá um novo recorde comercial" com a Argentina, que deverá superar os US$ 40 bilhões.

Fonte: Terra, www.terra.com.br