Dilma diz que Brasil tem "robustez fiscal" e inflação está sob controle

Dilma diz que Brasil tem "robustez fiscal" e inflação está sob controle

Presidente também afirmou que país vive período de "baixa vulnerabilidade".

Um dia após o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontar nova alta da inflação, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (11) que o governo federal mantém a inflação controlada ?sistematicamente?. Em visita oficial a Porto Alegre (RS), a chefe do Executivo disse ainda que o Brasil vive uma situação de ?baixa vulnerabilidade? em relação à economia mundial e que tem uma "robustez fiscal".

?O Brasil, hoje, tem uma situação diferente em relação ao resto do mundo, de baixa vulnerabilidade. Nós acumulamos US$ 378 bilhões de reserva, nós mantemos, sistematicamente, o controle da inflação?, disse Dilma durante a inauguração de um novo sistema de tratamento de esgotos na capital gaúcha.

Nesta quarta (9), o IBGE divulgou o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a ?inflação oficial?, referente a março. O IPCA ficou em 0,92%, a maior taxa para esse mês desde março de 2003, quando o indicador ficou em 1,23%. Os grupos alimentação e transportes registraram forte impacto no resultado, representando 79% da inflação do mês passado.

Mesmo a economia brasileira passando por um momento delicado, com a escalada da inflação e com o rebaixamento da nota de crédito pela agência de classificação de risco Standard & Poor"s, a presidente ressaltou que, no Brasil, o enfrentamento da crise econômica mundial não se deu ?às custas? dos trabalhadores e empreendedores. Ela destacou que a dívida líquida do país é baixa em comparação com outros países.

?No mundo, poucos países têm a relação de endividamento que o Brasil como país tem. A nossa dívida líquida sobre o Produto Interno Bruto é de 33,8% e é uma das mais baixas do mundo. Portanto, o Brasil tem também robustez fiscal, mas, sobretudo, jamais enfrentamos a crise mundial às custas dos brasileiros trabalhadores e empreendedores?, enfatizou.

Obras da Copa

Ao se referir sobre as obras nos aeroportos de Brasília e Porto Alegre para a Copa do Mundo, que será realizada no país entre junho e julho deste ano, a presidente fez uma analogia ao falar sobre o Brasil utilizando a expressão "casa da gente". Ela disse que ao dar uma festa, a pessoa arruma a casa para receber os convidados.

"As obras, rigorosamente falando, atendem à Copa, mas elas não são para a Copa, elas são para o país, são para o estado. Quando a gente vai dar uma festa na casa da gente, você dá uma melhorada na casa, quando vai ter o casamento, você pode até dar uma ampliada na casa, mas todos os benefícios ficam para quem mora na casa e é isso que acontece conosco", disse a presidente ao fim do discurso.

Fonte: G1