É uma tentativa "lamentável" de atingir Lula, diz Dilma Rousseff

"É sabida a minha admiração, o meu respeito e minha amizade pelo presidente Lula"", diz a presidente


Dilma fala em tentativa

Em Paris, onde faz visita oficial nesta semana, a presidente Dilma Rousseff afirmou terça-feira que as novas revelaçãoes do empresário Marcos Valério são uma tentativa "lamentável" de atingir a imagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"É sabida a minha admiração, o meu respeito e minha amizade pelo presidente Lula. Portanto, eu repudio todas as tentativas-- e esta não será a primeira vez-- de tentar destituí-lo da imensa carga de respeito que o povo brasileiro lhe tem."

Dilma fez a defesa de Lula ao ser questionado sobre o depoimento em entrevista ao lado do presidente francês, François Hollande, no Palácio do Eliseu.

Valério afirmou à Procuradoria-Geral da República que pagou despesas pessoais de Lula em 2003, por meio de depósitos na conta de uma empresa do ex-assessor pessoal de Lula, Freud Godoy, segundo revelou o jornal "O Estado de S. Paulo".

"Essa é uma questão que eu devo responder no Brasil, mas eu não poderia deixar de assinalar que acho lamentável essas tentativas de desgastar a imagem do ex-presidente Lula. Eu acho lamentável", prosseguiu a presidente brasileira.

Em seguida, Hollande também se solidarizou com Lula. Ele afirmou que o ex-presidente tem uma "imagem considerável" no país em razão de suas conquistas nos campos econômico e social.

LULA

Também em viagem à França, onde deve participar de jantar na noite de hoje com Dilma e Hollande, Lula chamou de "mentira" as afirmações do empresário Marcos Valério à Procuradoria-Geral da República

"Isso é mentira", disse Lula na saída do primeiro dia de seminário organizado por seu instituto e a Fondation Jean-Jaurès, ligada ao Partido Socialista francês, em Paris.

Rodeado de assessores e seguranças, o ex-presidente, que tem evitado falar com a imprensa, deixou rapidamente o local. Questionado se poderia responder mais perguntas sobre o caso, afirmou: "hoje, nem duas".

No julgamento do mensalão pelo STF (Supremo Tribunal Federal), Valério foi condenado a 40 anos, 4 meses e 6 dias de prisão, além do pagamento de R$ 2,7 milhões em multa.

Fonte: Folha