Dilma diz que governo está preocupado com a educação no País

Dilma diz que governo está preocupado com a educação no País

Dilma disse ainda que pretende reduzir tributos pagos pelo setor

A presidente Dilma Rousseff disse, no início da tarde desta sexta-feira (17), que o governo tem se preocupado com os custos que possam atrapalhar o setor industrial brasileiro. "Nós hoje estamos muito preocupados com a questão do custo e competitividade da indústria. Por isso estamos fazendo uma série de programas que têm por objetivo reduzir o custo logístico do país".

A presidente citou ainda as iniciativas do governo no sentido de estimular a indústria. "A primeira etapa foi o programa de rodovias e ferrovias. Na sequência, serão os portos e aeroportos. E também queremos mudar o patamar de energia elétrica praticado no nosso país", afirmou.

Dilma participou da inauguração de unidade industrial voltada para produção de PVC na cidade de Marechal Deodoro, em Alagoas. De acordo com o governo, a unidade faz de Alagoas o maior pólo de PVC do país.

Ao falar dos custos da indústria brasileira, Dilma disse também que pretende reduzir tributos. "Também temos tido grande preocupação com redução de tributos e temos tido um conjunto de iniciativas para chegar a essa redução de forma, eu diria, horizontal. Esse é um objetivo que o governo irá perseguir".

A presidente ainda ressaltou a importância de instalar a fábrica em um estado da região Nordeste. "O Brasil tinha o hábito de crescer de forma concentrada. Não crescia no Norte e Nordeste. Hoje estamos aqui comemorando a maior unidade de PVC, que não está localizada nas regiões tradicionais. Com isso, estamos beneficiando com empregos e renda uma região importante".

Educação integral

Em outro trecho do discurso, Dilma defendeu a implementação do ensino em turno integral. "Não houve um país que tenha se desenvolvido e passado da condição de país pobre para a condição de país desenvolvido sem apostar em educação em tempo integral. E nós iremos fazer, e estamos já fazendo um esforço, de dirigir a educação em tempo integral para aquelas camadas da população mais pobres do país", disse.

Ela tocou no assunto após dizer que o governo estará "com os olhos voltados" para a situação da educação em Alagoas, "no sentido de aumentar e de melhorar o desempenho das crianças". O estado apresentou as piores avaliações do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgados nesta semana.

No ranking das redes de ensino estadual do Brasil referentes a 2011, as escolas de Alagoas tiveram o pior desempenho em todos os níveis de ensino: nos anos iniciais do fundamental (1º ao 5º ano), teve Ideb de 3,4; nos anos finais (6º ao 9º ano), de 2,5; já no ensino médio, a pontuação média das escolas estaduais foi de 2,6.

Protestos

Cerca de 50 servidores federais em greve aproveitaram a passagem da presidente por Alagoas para protestar. Panfletos distribuídos por professores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) nas proximidades do evento do qual participou a presidente diziam que "Dilma parou o Brasil. Foi eleita prometendo priorizar a educação e a saúde pública e agora o que vemos é mais sucateamento e privilégios para os grandes capitalistas".

Agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do Exército e da polícia estadual reforçaram a segurança na área, para evitar a aproximação dos manifestantes do local do evento.

Nas últimas semanas, desde que começaram a se intensificar as greves dos servidores públicos, as passagens da presidente Dilma pelas cidades do país têm sido acompanhadas de manifestações dos grevistas.

Fonte: G1